Imprimir Página

Pintando o Cisticerco

Objetivo didático:

Conhecer o formato do cérebro e seus hemisférios, através de picolés de gesso. Esse tipo de material didático auxilia no processo de aprendizagem de Neurociências e Parasitologia, pois através do toque e da visualização exercitamos nosso cérebro, uma vez que permite o uso de todas as características táteis para a construção de representações mentais, a partir de objetos concretos. Os picolés de cérebros sadios são aqueles que mimetiza o tecido íntegro do tecido, enquanto aqueles que apresentam um ou mais orifícios, simulando lesões teciduais causadas pela larva de Taenia solium (cisticerco); a qual pode se desenvolver em diferentes tecidos mole de humanos, inclusive o tecido nervoso. Este parasitismo, assim como outros podem ser adquiridos por maus hábitos de higiene. Esta prática ressalta a importancia da educação sanitária para manter a integridade dos aspectos morfofuncionais do sistema nervoso.

Funcionamento:

Os participantes são orientados pelos tutores, recebem a explicação da composição do cérebro pelos dois hemisférios e que estes são subdivididas em áreas menores, as quais possuem funções distintas. Nesta oficina há banners com ilustração das distintas áreas morfofuncionais do cérebro, além das consequências que podem ser causadas quando há contaminação por ovos de Taenia solium, devido a falta de educação sanitária.

Material:

  • Para o cérebro:
  • Pazinhas de sorvete;
  • Gesso;
  • Molde de silicone ou outro material maleável em formato de cérebro,
  • Copos plásticos com água;
  • Pincéis;
  • Tintas guache de cores variadas;
  • Aventais;
  • Secagem dos cérebros,
  • Massinha de modelar,
  • Banners com ilustração das distintas áreas do cérebro.

Habilidades exercitadas:

Memória, Cognição, Lógica, Percepção Visual.

Link permanente para este artigo: http://www.cienciasecognicao.org/min/?page_id=4434