Reunião do grupo de pesquisa NEUROEDUC – dia 08/04/19

Informamos que a próxima reunião do grupo de pesquisa NEUROEDUC será realizada no dia 08/04/2019 (segunda-feira), às 10:00, na sala G-015, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), localizado no Centro de Ciências da Saúdes (CCS), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Ilha do Fundão. O tema da reunião será a implementação do projeto do projeto RedENeuro.

Linha de pesquisa em TDAH tem desdobramento com novo integrante

No dia 26/02/2019, a equipe de Ciências e Cognição teve a feliz notícia sobre a aprovação de João Vitor Gallo Esteves no processo seletivo de doutorado (MD/PhD) do Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Biofísica, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF/UFRJ), onde desenvolverá a pesquisa “Prevalência de alterações visomotoras e efeitos de um programa de estimulação visomotor nas habilidades de leitura em escolares com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) da rede pública de ensino do município de São Fidélis-RJ“, sob a orientação do Prof. Dr. Alfred Sholl Franco (IBCCF/UFRJ).

O projeto conta com o apoio da Organização Ciências e Cognição (OCC) e CENSUPEG, buscando contribuir para o aumento do conhecimento sobre TDAH e formas de melhorar as condições de vida de crianças com o transtorno.

João Vitor atuava em diversos projetos de Ciências e Cognição, em especial em atividades relacionadas com o Núcleo de Novas Tecnologias e Mídias (NNOTEM). Seu comprometimento e conhecimento vem ser reforçado por mais este passo, agora integrando a equipe de pesquisadores do Neuroeduc (Núcleo de Pesquisa em Neurociências e Educação).

Pesquisas de CeC no I Encontro da Rede Nacional de Ciência para Educação

Pesquisadores e alunos atuantes em pesquisa vinculados ‘Ciências e Cognição’ apresentaram resultados de investigações e ações no I Encontro Anual da Rede Nacional de Ciência para Educação, em São Paulo.

No dia 04 de agosto de 2018, a equipe reunindo integrantes do grupo de pesquisa Neuroeduc (Núcleo de Estudos em Neurociência e Educação) e de CeC-NuDCEN (Ciências e Cognição – Núcleo de Divulgação Científica e Ensino de Neurociências) participou com apresentações de trabalhos:

O papel dos cursos de férias em neurociências e da Olimpíada Brasileira de Neurociências na divulgação e popularização das neurociências“;

Uma possível associação entre o desenvolvimento motor e o funcionamento executivo de crianças da cidade de São Fidélis/RJ

Jogo Alfa-Braille: um novo recurso para o processo de alfabetização inclusiva“, de Gisella Mendes dos Santos e Alfred Sholl-Franco;

A signicidade da linguagem corporal pela estimulação ritmo-sonora na educação infantil“, de Aline Fernandes Bernal e Alfred Sholl-Franco;

A intervenção neuropsicopedagógica voltada para crianças com baixo rendimento escolar“, ;

Neuroquest: o uso de tecnologias digitais de informação e comunicação na divulgação e alfabetização científica em neurociências“, ;

Percepções de profissionais da educação especial sobre a alfabetização inclusiva e a importância da ludicidade no processo de aprendizagem“, de Giselle Mendes dos Santos e Alfred Sholl-Franco; Confraternização após o evento..

Divulgação e Popularização em Neurociências: 8 anos da Semana do Cérebro no Rio de Janeiro

Foi defendida na UFRJ, nesta segunda-feira (22/05/17), o trabalho de conclusão de curso intitulado “Divulgação e Popularização em Neurociências: oito anos de atividades da Semana do Cérebro no Rio de Janeiro“, por Marina Chichierco, sob a orientação do Prof. Dr. Alfred Sholl Franco (IBCCF/UFRJ).

O trabalho trata da divulgação científica, entendendo-a como uma atividade que tem como função principal difundir conhecimentos científicos a partir de um diálogo acessível para a sociedade. Neste sentido, foi desenvolvida uma pesquisa, tendo como objeto as atividades desenvolvidas, por Ciências e Cognição e parceiros para a Semana do Cérebro do Rio de Janeiro, vinculada internacionalmente à Semana de Conscientização do Cérebro (Brain Awareness Week), visando promover a conscientização e a popularização das neurociências para toda a sociedade.

O objetivo da pesquisa foi relatar e analisar o processo de organização e os dados relacionados às oito edições desse evento realizadas através do projeto Museu Itinerante de Neurociência (MIN), um braço do projeto de extensão universitária “Ciências e Cognição – Núcleo de Divulgação Científica e Ensino em Neurociências”, parceria entre Organização Ciências e Cognição (OCC) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Deste 2010, este evento tem sido organizado pelo projeto e diferentes parceiros intra- e extra-muros da UFRJ. A cada ano, uma nova temática é escolhida e desenvolvida na forma de atividades práticas e interativas para o público em geral e, em particular, para estudantes e professores do ensino básico.

Ao longo dos últimos 8 anos, já foram abordados os seguintes temas: sistemas sensoriais, memória, linguagem, emoções, deficiências/distúrbios e altas habilidades, artes, relação corpo e mente e consciência. A partir da quarta edição, foram desenvolvidos e realizados oito cursos de capacitação e formação de mediadores, com um total de 1.426 voluntários atuantes ao longo desses anos.

Em média, foram realizadas 22 oficinas/atividades práticas por ano, atendendo um total de 9.136 participantes. A organização da ação é renovada, anualmente, através do processo de Brainstorming realizado ao final do ano anterior, que resulta no desenvolvimento de novas atividades a cada novo evento, além de promover a adesão de novos parceiros individuais e/ou institucionais. A partir de 2012, contou com a adesão de laboratórios que trabalham com neurociências presentes no Centro de Ciências da Saúde (CCS/UFRJ), os quais abrem suas portas para visitação de estudantes durante os dias do evento, aumentando o grau de interação entre os visitantes e o ambiente acadêmico-científico.

Ao longo dos oito últimos anos, as ações vem sendo sistematicamente registrados e fartamente documentados, possibilitando a análise proposta no trabalho defendido por Marina, centrado na análise crítica e na observação participante. A relevância se destaca pela iniciativa pioneira no Brasil, em 2010, e a regularidade e constante crescimento das abordagens e parceiros, bem como pelo fato de que a Semana do Cérebro é uma iniciativa que tem grande repercussão, tornando-se uma importante ferramenta para o combate aos neuromitos, além de promover a divulgação e conscientização pública sobre as neurociências.

Marina foi aluna do curso de Ciências Biológicas, modalidade médica (Biomedicina), na UFRJ. Fizeram parte da banca os Profs. Drs. Daniela Uziel Rosental (UFRJ), Adriana da Cunha Faria Melibeu (UFF) e Alfred Sholl Franco (UFRJ).

 

 

VII Semana do Cérebro no Rio de Janeiro: uma mente sã num corpo são

14225421_10206646566424462_7084630394619172286_nVII SEMANA DO CÉREBRO NO RIO DE JANEIRO: UMA MENTE SÃ NUM CORPO SÃO

Teixeira, L.P., Anjos, D.H.S., Aranha, G., Sholl-Franco, A.,

Ciências e Cognição – Núcleo de Divulgação Científica e Ensino de Neurociências (CeC-NuDCEN), Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro/RJ

 

Introdução: A divulgação da ciência para a sociedade contribui no processo de reflexão e construção de conhecimento através do diálogo. Com esta função, a Semana do Cérebro busca promover a conscientização e popularização das neurociências. Sendo um evento internacional e anual, que ocorre sempre no mês de março. No Rio de janeiro, uma série de ações são desenvolvidas desde 2010 pela Organização Ciências e Cognição (OCC) e o Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF/UFRJ). A partir desta primeira ação no Rio de Janeiro, houve o estímulo para o desenvolvimento de atividades em todo o Brasil. Em 2016 o sistema nervoso foi apresentado ao público abordando seus mais diversos aspectos, com o tema: ¨Uma Mente Sã num Corpo São¨ e com a colaboração do Projeto “Construindo o Saber” (IBCCF/UFRJ) que leva uma visão integrativa entre as neurociências e a parasitologia. Oficinas Práticas são elaboradas aumentando a difusão de informações e experimentação, influenciando a curiosidade do publico alvo sobre o assunto. Palestras, fóruns e mesas-redondas ocorrem em diversos locais do Rio de Janeiro, a fim de atingir o maior publico alvo possível.

Objetivos: O objetivo deste trabalho é apresentar o resultado da VII Semana do Cérebro com atividades voltadas para difusão e popularização das neurociências para o público em geral, em espaços formais e não-formais de ensino.

Métodos: Pesquisas teóricas e estudo de materiais foram realizados pelos integrantes do Museu Itinerante de Neurociências e as atividades práticas foram desenvolvidas a partir de um brainstorm ocorrido em Novembro de 2015, onde foi elaborado o tema e os módulos a serem abordados. As atividades são precedidas por visitas técnicas, organização das oficinas, recrutamento de voluntários, treinamento e planejamento para o dia do evento. Desenvolvemos, durante a visita técnica, um mapa de distribuição das oficinas práticas (cerca de 20-25/evento) de acordo com a disponibilidade de espaço em uma sequência lógica para que haja a correlação entre os conteúdos a serem abordados.  Cada módulo possui oficinas práticas, montadas e supervisionadas por coordenadores capacitados. É ministrado um curso de formação de mediadores (fevereiro/março) para a capacitação dos voluntários de oficinas práticas e o recrutamento é feito por e-mail, mídias sociais (sites/blogs/facebook) e material impresso (panfletos/cartazes).

  • Resultados: Foram aplicadas 25 Oficinas Práticas, na UFRJ, UFF e no Espaço Ciência Viva, contando com a ajuda de 215 voluntários, ocorreram visitas guiadas a 5 laboratórios na UFRJ, participação de 13 escolas, 1 projeto social e público em geral totalizando 1.450 participantes, além de um Fórum temático e uma palestra na Escola de Administração Judiciária, uma Mesa-Redonda no Museu da Justiça.
  • Conclusão: A Forte adesão dos participantes em todas as faixas etárias favoreceu a experimentação, estimulando a aprendizagem significativa, permitindo aos participantes a construção de uma visão ampliada das Neurociências e sua importância nas atividades cotidianas. A cada ano um número maior de participantes, alunos do ensino básico e público em geral, são contemplados pelas ações promovidas na Semana do Cérebro. As oficinas funcionam como instrumentos contextualizadores da difusão científica e inclusão, potencial para a prática docente, pois oferece subsídios para o aperfeiçoamento didático proporcionando meios para ampliação do pensamento crítico.

Apoio Financeiro: OCC, FAPERJ, PROEXT MEC/SESU, PR-5/UFRJ.

poster-da-fesbe-luisa-teixeira-2016

Estudo sobre a IV Olimpíada Brasileira de Neurociências é apresentado na FESBE

fesbe8Na 37a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química (SBQ) Ingrid Moura (acadêmica de Medicina e coordenadora do Comitê Nacional da Olimpíada Brasileira de Neurociências) apresentou o trabalho “IV Olimpíada Brasileira de Neurociências: Divulgação e popularização das neurociências entre estudantes do ensino médio“, em formato pôster. São coautores do trabalho Alfred Sholl Franco (UFRJ, OCC) e Glaucio Aranha (OCC, TJRJ), membros do ‘Grupo de Pesquisa em Neurociências e Educação’ (NEUROEDUC).

Resumo:

IV OLIMPÍADA BRASILEIRA DE NEUROCIÊNCIAS: DIVULGAÇÃO E POPULARIZAÇÃO DAS NEUROCIÊNCIAS ENTRE ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO

Ingrid Moura de Oliveira¹, Alfred Sholl-Franco² ³ e Glaucio Aranha²

1- Graduanda  do Curso de Medicina da UFRJ, Rio de Janeiro, RJ; 2 – Pesquisador/Professor da Organização Ciências e Cognição, Rio de Janeiro, RJ; 3- Pesquisador/Professor do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho – UFRJ, Rio de Janeiro, RJ

  • Introdução: As olimpíadas de neurociências são competições de neurociências para estudantes do ensino médio com idade entre 14 e 19 anos incompletos, que ocorrem internacionalmente desde 1998 e no Brasil desde a fundação do Comitê Brasileiro em 2013.
  • Objetivo: Nosso objetivo é apresentar os resultados da IV Olimpíada Brasileira de Neurociências (OBN; cienciasecognicao.org/brazilianbrainbee) e estimular a formação de novos Comitês Locais (CL) responsáveis pela realização de competições em todo o Brasil.
  • Métodos: O comitê nacional, coordenado pelo Prof. Alfred Sholl-Franco e pela Acadêmica de Medicina da UFRJ Ingrid Moura de Oliveira, é membro do comitê internacional (http://www.internationalbrainbee.com/) e conta com a participação de uma comissão científica composta por Professores e Pesquisadores em neurociências. Na IV OBN tivemos a participação de dois novos Comitês Locais (São Fidelis/RJ e Brasiliense/DF) e a reativação de outro Comitê Local (Ribeirão Preto/SP), elevando o número de competidores para 13. A competição nacional foi realizada no dia 14/05/2016, na cidade de São Paulo, das 12:00 às 18:00 h, no Centro de Educação em Saúde Abram Szajman (CESAS), localizado na unidade Francisco Morato do Hospital Albert Einstein. Os três primeiros colocados de cada Comitê Local foram classificados para a competição nacional: Lorrayne Isidoro Gonçalves, Danilo Maciel de Deus e Melo e Gabriela Marques Mendonça Lira pelo Comitê do Rio de Janeiro e Grande Rio/RJ; Thiago Garcia Varga, Laura Valqueíria Ramos Maita e Caroline Magalhães de Toledo pelo Comitê de São Paulo/SP; Breno Masi De Basi, Débora Souza Queiroz e Talles Gabriel Castellar Barroso pelo Comitê de Ribeirão Preto/SP; Caio Silva de Paula Cabral pelo Comitê São Fidélis/RJ; Fabrício Andrade Rodrigues, Kaleb Damarcena de Oliveira e Karen Kathleen Amorim Oliveira pelo Comitê Brasiliense/DF. Os exames aplicados durante a OBN foram compostos por questões teóricas e práticas (objetivas e discursivas), divididas em 5 categorias (neuroanatomia, neurohistologia, neurofisiologia, neurociências básicas e neurociências clínicas).
  • Resultados: A representante do Comitê do Rio de Janeiro Lorrayne Isidoro Gonçalves, estudante do 3º ano do Colégio Pedro II Engenho Novo, supervisionada pela Profa. Camila Marra, venceu a IV OBN e participou da Olimpíada Internacional de Neurociências (International Brain Bee – IBB; www.thebrainbee.org), realizada entre 30/06 e 04/07,  em Copenhagen (Dinamarca), durante o Fórum da Federação das Sociedades Européias de Neurociências (FENS, http://www.fens.org/). A IBB contou com a participação de 25 países e a representante brasileira obteve a 18ª colocação geral, ficando em segundo lugar no exame de diagnóstico clínico e em sexto lugar no exame de neuroanatomia.
  • Conclusões: A realização das olimpíadas de neurociências (locais e nacional) mostra que este tipo de atividade é muito importante para a divulgação das neurociências para alunos do ensino médio, motivando os jovens ao aprendizado das ciências e despertando vocações nas áreas humanas, tecnológicas e/ou biológicas que estudam ou interagem com as neurociências, tanto no nível básico como clínico.  
  • Apoio Financeiro: Organização Ciências e Cognição; IBCCF/UFRJ; PR-5/UFRJ, PROEXT-MEC/SESU, CNPq, CENSUPEG, ALBERT EINSTEIN – Sociedade Beneficente Israelita Brasileira.

2016-xxxi-fesbe-moura-e-sholl-franco-obn-24072016

 

Sete anos de atividades deo Museu Itinerante de Neurociências

14199706_10206646564184406_4584883820859686906_n

SETE ANOS DE ATIVIDADES DO MUSEU ITINERANTE DE NEUROCIÊNCIAS DIFUNDINDO E POPULARIZANDO AS NEUROCIÊNCIAS EM ESPAÇOS FORMAIS E NÃO FORMAIS DE ENSINO NOS MUNICIPIOS DO RIO DE JANEIRO E DA REGIÃO DO GRANDE RIO

Castro, V., Teixeira, L., Aranha, G., Anjos, D.H.S., Sholl-Franco, A.

Ciências e Cognição – Núcleo de Divulgação Científica e Ensino de Neurociências (CeC-NuDCEN), Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro/RJ

Introdução: As neurociências têm muito a contribuir para a sociedade na construção dos conhecimentos em nosso dia-a-dia. Neste sentido, o Museu Itinerante de Neurociências (MIN) foi criado em 2009 por Ciências e Cognição – Núcleo de Divulgação Científica e Ensino de Neurociências (CeC–NuDCEN), um projeto de extensão do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF) da UFRJ, em colaboração com a Organização Ciências e Cognição (OCC). Desde 2010 este projeto tem desenvolvido várias atividades relacionadas à divulgação e ensino de neurociências.

Objetivos: O objetivo deste trabalho é apresentar o resultado de 7 anos de atividades do MIN na difusão e popularização das neurociências para o público em geral, durante o Dia do Cérebro em espaços formais e não formais de ensino.

Métodos: O MIN leva aos municípios do Rio de Janeiro e da região do Grande Rio um conjunto de atividades práticas e palestras. As inscrições das escolas são realizadas online a partir de um edital específico (www.cienciasecognicao.org/min). Após preenchimento dos formulários é feita a seleção dos locais a serem visitados conforme  critérios estabelecidos e a programação de cursos e atividades para o ano seguinte é divulgada (10-15 ações/ano). As atividades começam com os cursos de formação de mediadores (fevereiro/março) e continuam com as atividades relacionadas ao Dia do Cérebro. Cada atividade é precedida por visitas técnicas, organização das oficinas, recrutamento de voluntários, treinamento e planejamento para o dia do evento. Desenvolvemos, durante a visita técnica, um mapa de distribuição das oficinas (20-25/evento) de acordo com a disponibilidade de espaço e respeitando uma sequência lógica entre os conteúdos a serem abordados. O recrutamento de voluntários é feito por e-mail, mídias sociais (sites/blogs/facebook) e material impresso (panfletos/cartazes). Os participantes selecionados são distribuídos nas oficinas buscando uma proximidade com sua área de conhecimento e um treinamento é oferecido antes do evento começar.

Resultados: Entre fevereiro de 2010 e maio de 2016 realizamos 83 ações, totalizando aproximadamente 39.614 participantes, em atividades realizadas nos municípios do Rio de Janeiro e da Região do Grande Rio. Temos tido um crescente número de participantes desde o inicio das ações, tendo alcançado entre 7.500 e 7.900 participantes nos últimos três anos.

Conclusão: Os resultados apresentados demonstram que a cada ano alcançamos um número maior de participantes (alunos do ensino básico e público em geral) nas ações promovidas pelo MIN e que a crescente demanda pelas atividades (superiores a 15 vezes nossa capacidade de realização de ações) reforça o grande interesse da população e, em particular, do público escolar, por informações sobre as neurociências e sua aplicação em nosso dia-a-dia.

Apoio Financeiro: OCC, FAPERJ, PROEXT MEC/SESU, PR-5/UFRJ.

2016-xxxi-fesbe-castro-et-al-min-painel

Reunião do NeuroEduc (15/07). Tema: ‘Exergames e crianças com TDAH’

logo - neuroeduc2No dia 15/07, ocorrerá a reunião do grupo de pesquisa NeuroEduc, que tratará do tema “Exergames e crianças com TDAH”, bem como da apresentação da consolidação das linhas de pesquisa, conforme discussão da última reunião (10/06). A reunião se destina, principalmente, aos integrantes dos grupos de pesquisa (pesquisadores e orientadores) do NeuroEduc e ocorrerá na sala G1-009, no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), Centro de Ciências da Saúde (CCS), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Ilha do Fundão, das 10:00 às 12:00.

Resumo do tema da discussão:

Indivíduos que apresentam transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) demonstram diferenças marcantes no seu desenvolvimento perceptivo-motor. Verifica-se que crianças com TDAH apresentam maior lentidão e menor atenção quando da realização de tarefas específicas, assim como uma perda progressiva de atenção sustentada e prontidão de resposta, o que prejudica a realização de tarefas motoras. Neste sentido diversos estudos vem mostrando a importância da prática de exercícios físicos para a melhora na capacidade de concentração e de processar informações de maneira mais organizada. A partir do comentado a ideia é discutir a influência de exergames para a melhora do desenvolvimento perceptivo-motor de crianças com TDAH. Isto ocorrerá através da apresentação breve dos resultados do meu trabalho de doutorado sob a orientação do professor Alfred Sholl Franco.

Reunião do NeuroEduc de 10/06 tratará de alinhamento das pesquisas do grupo

No dia 10/06, ocorrerá a reunião do grupo de pesquisa NeuroEduc, que tratará do balanço e (re)alinhamento dos eixos de pesquisa atualmente desenvolvidos pelo grupo, bem como na redefinição de linhas de pesquisa e bases metodológicas atualmente em desenvolvimento. A reunião se destina, principalmente, aos integrantes dos grupos de pesquisa (pesquisadores e orientadores). A reunião ocorrerá na sala G1-009, no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), Centro de Ciências da Saúde (CCS), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Ilha do Fundão, das 10:00 às 12:00.