VII Semana do Cérebro no Rio de Janeiro: uma mente sã num corpo são


14225421_10206646566424462_7084630394619172286_nVII SEMANA DO CÉREBRO NO RIO DE JANEIRO: UMA MENTE SÃ NUM CORPO SÃO

Teixeira, L.P., Anjos, D.H.S., Aranha, G., Sholl-Franco, A.,

Ciências e Cognição – Núcleo de Divulgação Científica e Ensino de Neurociências (CeC-NuDCEN), Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro/RJ

 

Introdução: A divulgação da ciência para a sociedade contribui no processo de reflexão e construção de conhecimento através do diálogo. Com esta função, a Semana do Cérebro busca promover a conscientização e popularização das neurociências. Sendo um evento internacional e anual, que ocorre sempre no mês de março. No Rio de janeiro, uma série de ações são desenvolvidas desde 2010 pela Organização Ciências e Cognição (OCC) e o Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF/UFRJ). A partir desta primeira ação no Rio de Janeiro, houve o estímulo para o desenvolvimento de atividades em todo o Brasil. Em 2016 o sistema nervoso foi apresentado ao público abordando seus mais diversos aspectos, com o tema: ¨Uma Mente Sã num Corpo São¨ e com a colaboração do Projeto “Construindo o Saber” (IBCCF/UFRJ) que leva uma visão integrativa entre as neurociências e a parasitologia. Oficinas Práticas são elaboradas aumentando a difusão de informações e experimentação, influenciando a curiosidade do publico alvo sobre o assunto. Palestras, fóruns e mesas-redondas ocorrem em diversos locais do Rio de Janeiro, a fim de atingir o maior publico alvo possível.

Objetivos: O objetivo deste trabalho é apresentar o resultado da VII Semana do Cérebro com atividades voltadas para difusão e popularização das neurociências para o público em geral, em espaços formais e não-formais de ensino.

Métodos: Pesquisas teóricas e estudo de materiais foram realizados pelos integrantes do Museu Itinerante de Neurociências e as atividades práticas foram desenvolvidas a partir de um brainstorm ocorrido em Novembro de 2015, onde foi elaborado o tema e os módulos a serem abordados. As atividades são precedidas por visitas técnicas, organização das oficinas, recrutamento de voluntários, treinamento e planejamento para o dia do evento. Desenvolvemos, durante a visita técnica, um mapa de distribuição das oficinas práticas (cerca de 20-25/evento) de acordo com a disponibilidade de espaço em uma sequência lógica para que haja a correlação entre os conteúdos a serem abordados.  Cada módulo possui oficinas práticas, montadas e supervisionadas por coordenadores capacitados. É ministrado um curso de formação de mediadores (fevereiro/março) para a capacitação dos voluntários de oficinas práticas e o recrutamento é feito por e-mail, mídias sociais (sites/blogs/facebook) e material impresso (panfletos/cartazes).

  • Resultados: Foram aplicadas 25 Oficinas Práticas, na UFRJ, UFF e no Espaço Ciência Viva, contando com a ajuda de 215 voluntários, ocorreram visitas guiadas a 5 laboratórios na UFRJ, participação de 13 escolas, 1 projeto social e público em geral totalizando 1.450 participantes, além de um Fórum temático e uma palestra na Escola de Administração Judiciária, uma Mesa-Redonda no Museu da Justiça.
  • Conclusão: A Forte adesão dos participantes em todas as faixas etárias favoreceu a experimentação, estimulando a aprendizagem significativa, permitindo aos participantes a construção de uma visão ampliada das Neurociências e sua importância nas atividades cotidianas. A cada ano um número maior de participantes, alunos do ensino básico e público em geral, são contemplados pelas ações promovidas na Semana do Cérebro. As oficinas funcionam como instrumentos contextualizadores da difusão científica e inclusão, potencial para a prática docente, pois oferece subsídios para o aperfeiçoamento didático proporcionando meios para ampliação do pensamento crítico.

Apoio Financeiro: OCC, FAPERJ, PROEXT MEC/SESU, PR-5/UFRJ.

poster-da-fesbe-luisa-teixeira-2016