Emoção e Afetividade na Fenomenologia e nas Ciências Cognitivas

O artigo “Emoção e Afetividade na Fenomenologia e nas Ciências Cognitivas: uma compreensão a partir da Fenomenologia de Dietrich von Hildebrand e Natalie Depraz“, de Marília Zampieri da Silva e Tommy Akira Goto, publicado no vol. 25 (1), de 2020, do periódico Ciências & Cognição, aborda o fenômeno da emoção e da afetividade na Fenomenologia e nas Ciências Cognitivas, de modo a destacar alguns aspectos convergentes e divergentes entre ambas. Nas ciências cognitivas, a emoção é uma função psicofísica, passível de apreensão por uma avaliação cognitiva, embasada em uma análise feita pelo indivíduo sobre determinado evento experienciado. Nas análises fenomenológicas, a emoção também possui base cognitiva, mas descritas por outras bases, tais como: as crenças, suposições, percepções ou fantasias perceptivas. No intuito de exemplificar cada uma dessas duas áreas, trazemos as contribuições de Dietrich von Hildebrand, que investiga a afetividade a partir do conceito husserliano de intencionalidade, evidenciando a estrutura essencial dos afetos em sua resposta afetiva; e de Natalie Depraz, contemporânea das recentes descobertas sobre mente, cérebro e consciência, em cuja análise sobre as emoções, constrói uma articulação entre o físico e o psíquico, destacando as implicações da intencionalidade. A partir desse panorama, apresentamos o conceito de emoção para cada autor e apontamos os pontos de convergências, em eco à ideia de que a melhor contribuição científica reside nas passagens e diálogos epistemológicos.

da Silva, M. Z., & Goto, T. A. (2020). Emoção e Afetividade na Fenomenologia e nas Ciências Cognitivas: uma compreensão a partir da Fenomenologia de Dietrich von Hildebrand e Natalie Depraz. Ciências & Cognição25 (1), 82-98. Recuperado de http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1643

Translate »