Como as narrativas satisfazem as principais motivações

Por Glaucio Aranha

Foi publicado na revista Self and Identity, um artigo teórico intitulado “Universal stories: How narratives satisfy core motives” (Histórias universais: como as narrativas satisfazem as principais motivações), de Costabile, Shedlosky-Shoemaker e Austin (2018), no qual os autores defendem a hipótese de que as histórias promoveriam o bem-estar social e psicológico, satisfazendo motivações centrais. Partem da para sobre o papel das narrativas nas vidas humanas e avançam com a argumentação, buscando estabelecer um entendimento sobre como elas se relacionariam com nossas principais motivações.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 51xpvXCRMUL._SX327_BO1,204,203,200_.jpg

Neste sentido, relacionam a narratividade com as cinco motivações sociais apontadas por Susan Fiske, no livro “Social beings: Core motives in Social Psychology” (2010) como bases para a satisfação das necessidades humanas, a saber: pertencer, compreender, controlar, auto-aperfeiçoar e confiar.

O artigo “Universal stories” abre espaço para retomar discussões acerca do papel da narratividade como aspecto imanente à condição humana, ou seja, para pensar a produção e circulação de histórias, desde tempos imemoriais, como um princípio organizador da experiência do ser humano, que viabiliza a construção de representações acerca do que o cerca. Tais representações estabeleceriam bases para procedimentos perceptivos e interpretativos sobre a existência. Esses procedimentos, por sua vez, seriam consolidados socialmente como matrizes modeladoras, por exemplo, na formação da cultura de um povo (BRUNER, 1997, 2002). Nesse sentido, a narratividade desempenharia um papel cognitivo de organização de fragmentos informacionais (dados) na constituição de uma compreensão/interpretação do contexto em que se vive (TURNER, 1996). Assim, as narrativas e suas formas de transmissão (circulação) poderiam ser compreendidas como elementos relevantes para a própria constituição da percepção da condição humana.

Costabile e seus colegas (2018) argumentam que tanto narrativas autobiográficas, quanto narrativas de entretenimento, podem satisfazer as cinco principais motivações descrias por Susan Fiske. Para tanto, os autores estruturam seu artigo em seções individuais para cada um dos principais motivos. E, deste modo, apresenta separadamente evidências empíricas com o fim de sustentar a relação entre as narrativas (histórias) e as motivações centrais relacionadas.

Na conclusão, os autores destacam a necessidade de mais pesquisas interdisciplinares sobre narrativas, que coloquem foco em pesquisas que promovam o diálogo com as teorias e pesquisas psicológicas mais tradicionais, buscando interfaces que possam contribuir para o aprofundamento do tema. Além disso, acreditam que as abordagens narrativas podem representar um importante passo para a pesquisa de relacionamentos intergrupais, promovendo a superação de resistências da ala mais tradicional.

Referências

BERYTAND, D. Narratividade e discursividade: pontos de, referência e problemáticasSignificação: Revista De Cultura Audiovisual30(19), 9-50, 2003. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2003.65567

BRUNER, Jerome. Atos de significação. Tradução de Sandra Costa. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

_______. Realidade mental, mundos possíveis. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.

Costabile, K. A., Shedlosky-Shoemaker, R., & Austin, A. B. Universal stories: How narratives satisfy core motives. Self and Identity17(4), 418-431, 2018. 

FISKE, S. T. . Social beings: Core motives in Social Psychology (2nd ed.). New York, NY: Wiley, 2010.

TURNER, M. The literary mind. Oxford: Oxford University Press, 1996.

Sobre o autor

É doutor em Letras (área: Literatura Comparada), pela Universidade Federal Fluminense (UFF); mestre em Comunicação, Imagem e Informação (área: Novas Tecnologias da Comunicação e da Informação), pela Universidade Federal Fluminense (UFF); e graduado em Direito, pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). É pesquisador-líder do grupo de pesquisa *Homo Narrans: narratividade, produção de sentido e construção da realidade*, no qual coordena as linhas de pesquisa: *Literatura fantástica e produção de sentido*, *Narrativas verbo-visuais e intermidialidade* e *Narratividade, semiose e cognição*; e co-líder do grupo *Neuroeduc – Centro de Estudos em Neurociências e Educação* (OCC/UFRJ), no qual integra a coordenação da linha de pesquisa *Narratividade, Experiência Estética Intersemiótica e Cognição*, com foco no uso de narrativas no ensino e na divulgação científica. É pesquisador associado do “Núcleo de Novas Tecnologias e Mídias” – NNOTEM, do IBCCF/UFRJ. Pesquisador associado do *Núcleo de Divulgação Científica e Ensino de Neurociências – Ciências e Cognição*, da UFRJ (CeC-NuDCEN/IBCCF/UFRJ), onde desenvolve estudos sobre semiótica cognitiva. Atua, ainda, na Divisão de Ensino e Pesquisa, da Escola de Administração Judiciária (DIEPE/ESAJ), do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Tem experiência nas áreas de: teoria literária e da narrativa, estética, semiótica, divulgação científica, e cultura pop. Lattes: http://lattes.cnpq.br/1047823602449101

NeuroQuest – Episódio 03 – Transtorno Bipolar

O terceiro episódio do videocast NEUROQUEST, apresentado por Luiz Guilherme e Yanna Bravim aborda o Transtorno Bipolar, contando com a participação do Dr. Marco Antônio Brasil, Chefe do Serviço de Psiquiatria do Hospital Universitário, da UFRJ (HUCFF/UFRJ).
O NeuroQuest é publicado mensalmente, por Ciências e Cognição, na revista eletrônica “NeuroTeen” (http://cienciasecognicao.org/neuroteen/).

Trilha sonora: “NeuroQuest”, de Glaucio Aranha.
Produção Executiva: Alfred Sholl e Glaucio Aranha.
Realização: “Ciências e Cognição”
______________________________________________
Todos os Direitos Reservados. Autorizada a divulgação e incorporação com referência explícita à detentora dos Direitos – Ciências e Cognição.

Palestra “Neurociências, Arte e Criatividade” – Prof. Dr. Alfred Sholl Franco (UFGD). I Workshop Arte + Ciências e Inclusão

I Workshop Arte + Ciências e Inclusão – 19/11/2016, na UFRJ. Palestra “Neurociências, Arte e Criatividade”Prof. Dr. Alfred Sholl Franco (UFRJ). Evento promovido por Ciências e Cognição.

.

Sobre a palestrante:

Biólogo (Faculdades Maria Thereza), Especialista em Neurobiologia (UFF), Mestre e Doutor em Ciências Biológicas (Modalidade Biofísica, URFJ). Atualmente é Professor Associado I (UFRJ, IBCCF, Programa de Neurobiologia), Coordenador da Extensão no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (CATE, IBCCF, UFRJ), do Ciências e Cognição – Núcleo de Divulgação Científica e Ensino de Neurociências (CeC-NuDCEN) e do Núcleo de Novas Tecnologias e Mídias (NNOTEM) . Dedica-se à pesquisa básica em estudos sobre proliferação, diferenciação e morte celular no sistema nervoso e à pesquisa em Neuroeducação, nas áreas de corporeidade, aprendizado, narrativa, artes e inclusão. Tem experiência nas áreas de Neurociências, Divulgação Científica e Editoração Eletrônica, com ênfase nas sub-áreas de Neuroimunomodulação, Biologia Celular, Desenvolvimento, Aprendizagem, Regeneração no Sistema Nervoso e Educação/Divulgação Científica e Inclusão. Participa como Pesquisador Associado ao Laboratório de Neurogênese (IBCCF, UFRJ), onde desenvolve projetos de pesquisa nas áreas de desenvolvimento do sistema nervoso, neuroimunomodulação, neuroplasticidade, neurodegeneração e regeneração. Coordena o Centro de Estudos em Neurociências e Educação (NEUROEDUC), onde desenvolve atividades de editoração, pesquisa em neuroeducação, aprendizagem, corporeidade, narrativa, artes, inclusão e divulgação científica. É membro permanente das Pós-Graduações da UFRJ em Ciências Biológicas (Biofísica – conceito Capes 7) e MP-EGeD (conceito Capes 4) e da Pós-Graduação da UFF em Diversidade e Inclusão (CMPDI – Conceito Capes 4). Membro da Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento (SBNeC), da Society for Neuroscience (SfN), da International Mind, Brain and Education Society (IMBES) e da Rede Nacional de Ciência para a Educação (CpE). Fundador e Editor-Chefe da revista científica "Ciências e Cognição? (CAPES Qualis B1 em Psicologia e B2 em Educação e Ensino).

 

 

 

Palestra “Autismo” – Profa. Dra. Elisabete Castelon Konkiewitz (UFGD). I Workshop Arte + Ciências e Inclusão

I Workshop Arte + Ciências e Inclusão – 19/11/2016, na UFRJ. Palestra “Autismo” – Profa. Dra. Elisabete Castelon Konkiewitz (UFGD). Evento promovido por Ciências e Cognição.

.

Sobre a palestrante:

Graduada em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) em 1993 e doutora em Neurologia pela Technische Universität München (Alemanha) em 2002. Título de Especialista em Psiquiatria pela Associação Médica Brasileira e Associação Brasileira de Psiquiatria. Título de especialista em Neurologia pela Associação Médica Brasileira e Academia Brasileira de Neurologia. Desde 2008 professora associada da Faculdade de Ciências da Saúde (curso de Medicina) na Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Foi docente na Universidade Estadual de São Paulo (UNESP) e na Universidade de Marília (UNIMAR). Docente em cursos de pós-graduação nas áreas de Saúde e Educação. Tem experiência nas áreas de transtornos de aprendizado, neurocognição,aspectos neuropsiquiátricos na infecção pelo HIV.

 

 

Está disponível online o Volume 20(2), de Ciências & Cognição

Ciências & Cognição - Vol. 20 (2), 2015O  periódico Ciências & Cognição (Cien. Cogn.) é a publicação científica oficial da Organização Ciências e Cognição (OCC) e Ciências e Cognição – Núcleo de Divulgação Científica e Ensino de Neurociência (CeC-NuDCEN, da UFRJ). Seu foco é o estudo da cognição e seus processos, a partir do olhar interdisciplinar estabelecendo um diálogo acadêmico entre as chamadas Ciências Cognitivas. Possui índice h5 = 6; Mediana h5 = 7. No QUALIS 2013-2016, Ciências & Cognição está presente na avaliação de vários comitês de avaliação, reforçando seu caráter interdisciplinar. As maiores avaliações são B1 em Letras/Linguística, Ciências Ambientais, Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo; B2 em Interdisciplinar, Psicologia, Educação, Ensino, Arquitetura, Urbanismo e Design; B3 em Filosofia, Enfermagem; B4 em Saúde Coletiva, e Medicina II; B5 em Biotecnologia, Nutrição, Engenharias II, Engenharias III, Ciência da Camputação, Química, C em Medicina I, Ciências Biológicas I, e Ciências Biológicas II

Aguarda a atualização da avaliação nos comitês a seguir, tendo sido sua última avaliação: B2 – Interdisciplinar, Planejamento Urbano e Regional, Demografia; B3 em: Ciências Sociais Aplicadas I, Artes e Música, História. B4 em: Saúde Coletiva, Odontologia, Sociologia, Arquitetura e Urbanismo; B5 em: Medicina I, Antropologia/Arqueologia, Engenharia IV, Educação Física, Letras/Linguística.

Acesso livre e gratuito: Ciências & Cognição

 

IV Seminário Ciências e Cognição – “Neurociências e Aprendizagem”

IV SEMINÁRIO CIÊNCIAS E COGNIÇÃO

“Neurociências e Aprendizagem: Novas Fronteiras”

08/10/2015, das 8:00 às 17:00h

Rio de Janeiro – RJ

O IV Seminário Ciências e Cognição terá como tema “Neurociências e Aprendizagem: Novas Fronteiras”. Buscará abordar as principais contribuições das Neurociências para a compreensão de processos envolvidos no processo de aprendizagem. Nesse sentido, o enfoque incidirá sobre aspectos como: neuroplasticidade, linguagem e estresse (interações/expressões na aprendizagem). Tem como objetivo principal discutir as contribuições das neurociências para a ampliação do conhecimento sobre a aprendizagem numa perspectiva integradora. As atividades serão realizadas por meio de exposição teórica, práticas e mesa-redonda com discussão entre os palestrantes convidados e os participantes do evento.

Inscrição

A participação será fechada para os inscritos e não serão permitidos ouvintes. A inscrição poderá ser realizada até o dia 05/10/2015 e será conferido certificado de participação. Para a realização da inscrição:

  • Preencha o formulário abaixo:

2015 – IV SEMINÁRIO CIÊNCIAS E COGNIÇÃO – FORMULÁRIO INSCRIÇÃO

  • Efetue o pagamento do valor da inscrição (R$ 70,00), clicando na imagem a seguir. Somente serão aceitos pagamentos nas modalidades:
    • Boleto Bancário (gerado pelo participante através do PagSeguro)
    • Cartão de Crédito
    • Débito Online
  • Não será aceita a opção de pagamento feita por “Depósito em Conta”, tendo em vista estar em teste.


    • Após o pagamento, envie o formulário preenchido para assessoria@cienciasecognicao.org
    • Em até dois dias úteis será encaminhado sua confirmação de inscrição.

    Temas a serem abordados

    • Neuroplasticidade e Aprendizagem, Alterações na Linguagem e aprendizagem e Estresse (fisiológico e patológico) na aprendizagem.

    Público-Alvo

    • Graduandos e Profissionais das áreas de saúde e educação interessados em ampliar seus conhecimentos  em neurociências e aprendizagem.

    Dia e Horário

    • 08/10/2015, das 8:00 às 17:00h (Certificado – Carga Horária: 8 horas)

    Local

    • Centro de Ciências da Saúde (CCS), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Ilha do Fundão, Rio de Janeiro, RJ.

    Docentes

    • Prof. Alfred Sholl-Franco (BA, MSc., PhD.)
    • Profa. Anna Carolina Miguel (Fga., Especialista em Linguagem e Aprendizagem, Mestranda em Diversidade e Inclusão)
    • Dra. Fabiana de Mello Villaça (MD, MSc)
    • Profa. Mariza Sodré  (BA., Mestranda em Formação Científica para Professores de Biologia)

    Programação

    • 08:00 – 08:30 – Recepção dos participantes
    • 08:30 – 09:30 – Apresentação: Neuroplasticidade e Aprendizagem
    • 09:30 – 10:00 – Oficinas Práticas
    • 10:00 – 10:30 – coffee break
    • 10:30 – 11:30 – Apresentação: Alterações na Linguagem e Aprendizagem
    • 11:30 – 12:00 – Oficinas Práticas
    • 12:00 – 13:30 – Intervalo para almoço
    • 13:30 – 14:30 – Apresentação: Estresse (Fisiológico e Patológico) e Aprendizagem
    • 14:30-15:00 – Oficinas Práticas
    • 15:30-16:00 – coffee break
    • 16:00-17:00 – Mesa-redonda: discussão e debate dos palestrantes com os participantes sobre as temáticas abordadas ao longo do dia.

    Dúvidas e maiores informações:

Reunião do Neuroeduc – 12/06/2015 – Tema: Aspectos cognitivos do uso de mídias para a divulgação científica e ensino (Glaucio Aranha)

12/06/2015: das 10:00 às 12:00h (sexta-feira) – C1-002 

  •  Apresentador: Glaucio Aranha
  • Tema: Aspectos cognitivos do uso de mídias para a divulgação científica e ensino.
  • Local: Sala G1-030, Bloco G, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), Centro de Ciências da Saúde, UFRJ.
  • Resumo: A midiatização da divulgação científica e do ensino parece não estar levando em consideração as especificidades cognitivas relacionadas com cada mídia em relação à produção de sentido. Outro aspecto ainda pouco considerado neste tipo de uso das mídias diz respeito às implicações que cada uma impõe para a construção da mensagem. Neste sentido, serão discutidos alguns dos postulados de Marshall McLuhan e Pierre Levy  acerca do modo como os meios de comunicação interferem no processo de construção do conhecimento aplicando-os ao contexto do ensino e da divulgação científica.

Reunião do NeuroEduc – Dia 12/06/2015 – Tema: Aspectos cognitivos do uso de mídias para a divulgação científica e ensino

A próxima reunião do Neuroeduc (Centro de Estudos em Neurociências e Educação) acontecerá no dia 12/06/2015, no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), Centro de Ciências da Saúde (CCS), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Ilha do Fundão, das 10:00 às 12:00, na sala G1-030.

  • Tema: Aspectos cognitivos do uso de mídias para a divulgação científica e ensino
  • Resumo: A midiatização da divulgação científica e do ensino parece não estar levando em consideração as especificidades cognitivas relacionadas com cada mídia em relação à produção de sentido. Outro aspecto ainda pouco considerado neste tipo de uso das mídias diz respeito às implicações que cada uma impõe para a construção da mensagem. Neste sentido, serão discutidos alguns dos postulados de Marshall McLuhan e Pierre Levy acerca do modo como os meios de comunicação interferem no processo de construção do conhecimento aplicando-os ao contexto do ensino e da divulgação científica.
  • Apresentação: Glaucio Aranha (Organização Ciências e Cognição – OCC; e Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ)

A reunião visa apresentar e discutir temas relacionados com as pesquisas em andamento nos Grupos de Trabalho (GT), do Neuroeduc, sendo destinadas aos pesquisadores e associados de Ciências e Cognição, mas aberta para participação como ouvinte do público externo. Para o público externo, enviar e-mail com antecedência de no mínimo 24 horas, informando o desejo de participar para cecnudcen@cienciasecognicao.org, tendo em vista o número limitado de assentos. Não há emissão de certificados ou declarações de participação.

Neurociências e Artes: como as artes podem contribuir para a cognição

No dia 18/03 (quarta-feira), às 10:00, o Prof. Dr. Alfred Sholl-Franco, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, apresentará a palestra “Neurociências e Artes: como as artes podem contribuir para a cognição“. Discutirá tópicos relacionados com as implicações cognitivas da experiência artística, o modo como as artes podem contribuir para a melhoria do processo de ensino-aprendizagem e aspectos gerais sobre a convergência entre os campos de artes e neurociências, que vem se convencionando chamar de “neuroestética”.

Após a palestra, haverá a comunicação “Música e Cérebro“, com a Prof. Maria Beatriz Licursi, da Escola de Música, da UFRJ, seguida da apresentação musical do quarteto de cordas “O Fino da Música” destacando obras de compositores cuja vida teve relação com temas ligados ao cérebro (altas habilidades, distúrbios sensoriais e outros). Por fim, haverá a abertura das exposição “Olhares” e o lançamento do livro “Desenhando Emoções“, de Alfred Sholl-Franco, Anna Carolina Miguel e Scarlet Guedes.

Entrada gratuita.

Data: 18/03, às 10:00

Local: Auditório Rodolpho Paulo Rocco (Quinhentão), subsolo do Bloco K, Campus Fundão (UFRJ) – Para orientação por mapa, clique aqui.

Maiores informações: http://cienciasecognicao.org/semana_do_cerebro/?p=78

Estágio – Ciências e Cognição

reuniaoVagas de estágio para alunos da UFRJ na área de divulgação científica. O estágio será desenvolvido no CeC-NuDCEN que está localizado na Ilha do Fundão (UFRJ), Rio de Janeiro. Carga horária 16 horas semanais. Turno da manhã. Atuação em áreas variadas. Valor da bolsa de 400,00, exclusiva para alunos da UFRJ.

O candidato deverá encaminhar e-mail para cecnudcen@cienciasecognicao.org, informando:

– qual é a expectativa de aprendizagem e atuação com o estágio e como entende que se qualifica para a área de divulgação científica (mínimo 15 linhas e máximo 30 linhas);
– cópia do currículo (indicando CR).

Requisitos:
– ser aluno de graduação da UFRJ;
não estar no primeiro nem no último ano da graduação;
– ter disponibilidade para atuar, exclusivamente, no TURNO DA MANHÃ.

Contato: cecnudcen@cienciasecognicao.org