“Extensão Universitária: por que e como cumprir?”

O vídeo apresenta um debate em torno das configurações da extensão universitária na UFRJ, no ano de 2016/2017. A apresentação conta com as falas do Prof. Dr. Alfred Sholl Franco (IBCCF/UFRJ) e da Profa. Dra. Débora Henrique Anjos (IBCCF/UFRJ), durante o evento II FÓRUM DE EXTENSÃO DO INSTITUTO DE BIOFÍSICA CARLOS CHAGAS FILHO.

I Semana Arte+Ciência – 19 a 26/11/2016 – Rio de Janeiro

Do dia 19 a 26 de novembro de 2016, ocorrerá a I Semana Arte+Ciência, no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O evento é composto por múltiplas atividades que buscam atingir uma grande diversidade de público, tais como: professores do ensino básico, musicoterapeutas, e o público em geral. Todos com inscrição gratuita, mas com vagas limitadas e distintas para cada atividade.

Dentre as atividades que comporão a I Semana Arte+Ciência estão:

O prazo previsto para inscrições vai até o dia 15 de novembro de 2016, entretanto serão encerradas assim que o número de vagas oferecidas for atingido. Não haverá lista de espera, nem será possível a participação como “ouvinte” (participante não inscrito) nas atividades.

Mais informações informações sobre cada uma das atividades oferecidas poderão ser obtidas através do site www.cienciasecognicao.org/portal .

 

2016-10-cartaz-semana-arteciencia-ibccf

II Fórum de Extensão do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho

II FÓRUM DE EXTENSÃO DO INSTITUTO DE BIOFÍSICA CARLOS CHAGAS FILHO

24 de novembro de 2016 – 09 às 17 horas

Local: Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Auditório Hertha Meyer, Bloco G, Sala 22, Instituto de Biofísica, Centro de Ciências da Saúde, Rio de Janeiro, RJ.

Inscrições Gratuitas

Inscrições

  • 19 de outubro a 21 de novembro de 2016!!!
  • Para se inscrever acesse: INSCRIÇÕES ENCERADAS
  • Os inscritos, que pretendam apresentar trabalho na Seção de Pôsteres do evento, deverão anexar sua proposta de apresentação (clique aqui para baixar o modelo a ser anexado) no ato da inscrição.

PROGRAMAÇÃO

  • 09:00 – Abertura do Evento
  • 09:10 – Apresentação Musical
  • 09:20 – Palestra O Morro dos Ventos Uivantes, a Metafísica do Amor e a Neurobiologia Evolutiva (Profa. DraElisabete Castelon Konkiewitz, Universidade Federal da Grande Dourados – UFGD, Dourados – MS)
  • 10:00- Palestra- “Redes Sociais na Divulgação Científica como campo de Pesquisa” (Prof. Dr. Glaucio Aranha – Escola de Administração Judiciária do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro – ESAJ/TJRJ)
  • 10: 30 Intervalo
  • 10:45 – “Neurociências em Debate” (Profa. DraElisabete Castelon Konkiewitz, Universidade Federal da Grande Dourados – UFGD, Dourados – MS)
  • 11:15- Mesa-Redonda “Divulgação Científica: Pesquisa, Ensino e Extensão” (Mediação: Profa. Dra. Débora Anjos, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ)
  • 12:00 – Almoço
  • 13:30 – Apresentação de painéis/pôsteres sobre atividades de extensão desenvolvidas no IBCCF e parceiros.
  • 15:00 – Intervalo
  • 15:20 – “Extensão Universitária: por que e como cumprir?” (Prof. Dr. Alfred Sholl-Franco e Profa. Dra. Débora Henrique Anjos -Coordenadores de Extensão do IBCCF/UFRJ).
  • 17:00- Encerramento

Equipe

Dr. Alfred Sholl-Franco (IBCCF/UFRJ)

Dra. Debora Henrique da Silva Anjos (IBCCF/UFRJ)

Palestrantes

ELIZABETE CASTELON KONKIEWITZ

Participantes

Alan Cardoso do Nascimento

Alfred Sholl Franco

Ana Beatriz Rocha Rodrigues

Ana Karoline Ramos Alves

Anna Karla da costa Souza

Anna Leticia Espindola de Oliveira

Atila Vieira Lobato

Barbara de Paula Pires Franco Guimaraes

Camila Marques da Silva

Carla Marilia dos Santos 

Dio Pablo Alexandrino de Mattos

Eduarda Cavalcante

Elaine Neri de Souza

Elisabete Castelon Konkiewitz

Esther Faria da Rocha

Fernanda Kaminski Fonseca 

Gabriela Lopes Barroso

Giselle Mendes dos Santos

Gismaria Silva Sales

Gleide Alencar do Nascimento Dias 

Ingrid Moura de Oliveira 

Jessica Costa Tonacio

Jessica nascimento da costa 

Jessica Oliveira da Conceicao

Joyce Alves do Nascimento 

Julia Frederico Nodari 

Karinne Nunes Brandao 

Lais Kaori S. Laburu

Larissa Mattos Feijo

Leonardo Floriano da Silva

Letícia Martino dos Reis

Lucas Freitas da Costa Duque

Ludmila Ribeiro Bezerra de Carvalho

Ludmilla da Silva Santos 

Luisa Teixeira Pinto

Maria Clara Rapozo 

Milena Ribeiro Peclat de Araujo

Priscila de Carvalho Maia 

Rafael Silva Lima 

Renata Pereira Laurindo

Victor Lima dos Santos

Victoria Gabriela Bello dos Santos

Vinicius de Castro e Silva

Vitor Soares Mann

Wanderson Douglas Lomenha Pereira

Willian Cruz Gouvea Junior

Registro Audiovisual

Hugo Rodrigues Marins

Joao Vitor Galo Esteves

Monitores

Alan Cardoso

Amanda Dias Miranda

Ana Beatriz Rocha Rodrigues

Anna Karla da costa Souza

Caroline Monteiro Nogueira

Cezar Paiva

Daniel Cordeiro

Eduarda Cavalcante

Esther Farias da Rocha

Fernanda Kaminski Fonseca

Jessica Costa Tonacio

Karinne Nunes Brandao

Leticia Martino dos Reis

Lorrayne Escaleira Sodré

Lucas Freitas da Costa Duque

Luisa Teixeira

Luiza Gonçalves Ibanez Ribeiro

Maria Clara Rapozo

Tabatha Avelar de Barros

Victor Lima dos Santos

Vinicius Castro

Local

UFRJ- Universidade Federal do Rio de Janeiro. Ilha do Fundão. Avenida Carlos Chagas Filho, 373 – Cidade Universitária, Rio de Janeiro. Bloco G, CCS, Centro de Ciências da Saúde, sala G1-022. Auditório Herta Mayer. GoogleMaps: https://goo.gl/maps/N8trrtNhCPL2

Contato

cate@biof.ufrj.br

 

 

Chamada de voluntários para ação do Museu Itinerante de Neurociências em Niterói no dia 29/04

O Museu Itinerante de Neurociências (MIN) convida todos a participarem como voluntários do próximo Dia do Cérebro que ocorrerá no dia 29/04, no Colégio Pedro II – Campus Niterói, localizado na rua General Castrioto, 120 Barreto – Niterói,RJ – CEP: 24110-256

A visitação ocorrerá no turno da tarde. Será disponibilizado um ônibus, para ida e volta ao local do evento, com saída da UFRJ (Ilha do Fundão, às 9:00h), (chegada às 18:00h), além de almoço no local. O evento ocorrerá das 13:00 às 17:00 horas. Como de costume, o transporte sairá PONTUALMENTE do estacionamento da DECANIA do Centro de Ciências da Saúde (CCS), bloco K às 09:00 horas e com previsão de retorno para o mesmo ponto (Decania do CCS, bloco K) às 18:00 h.

O ponto de encontro para transporte do material até o ônibus será a sala do Núcleo (G0-015, subsolo do bloco G, Instituto de Biofísica, CCS, na Ilha do Fundão), às 8:30h.

Dados a serem fornecidos por e-mail para credenciamento como voluntário nas ações do MIN:

– nome completo:

– utilizará nosso ônibus?

– número da identidade (incluindo órgão emissor e data de emissão):

– CPF:

– data de nascimento:

– e-mail:

– telefone celular:

– formação (especificar):

– caso seja graduando, especificar a graduação*, **:

– profissão que exerce:

– vínculo institucional:

– já teve experiência prévia com o Museu Itinerante de Neurociências (ou em outro projeto de Divulgação Científica):

– caso a resposta acima tenha sido positiva, participou de qual(is) eventos/ações:

– expectativa em participar da ação:

* graduandos da UFRJ podem verificar a inclusão da carga horária como CH curricular extensionista, uma vez que a ação é credenciada junto a PR-5 como um projeto de extensão.

** Alunos das disciplinas CFF007 e CFB007 devem informar para validar a presença (carga horária). Lembrando que todos receberão certificado de monitores após a realização do evento.

2015-05-29 00.32.07

Game transmídia desperta interesse de jovens pelas neurociências

[CLIPPING: ESTADÃO]

Game transmídia desperta interesse de jovens pelas neurociências

LUÍS GUILHERME JULIÃO – ESPECIAL PARA O ESTADO

09 Dezembro 2015 | 16h 13

NeurAventura faz estudantes transitarem por diferentes mídias como redes sociais, vídeos e quadrinhos

Um jogo no estilo RPG vem despertando o interesse de jovens do ensino médio pelas neurociências. Por meio de vídeos, quadrinhos e entradas para redes sociais, o NeurAventura permite que os alunos participem ativamente da construção de narrativas, garantindo estímulo extra para as pesquisas sobre o tema. Atividade que já serviu de motivação para pelo menos uma escolha de futuro, a de Alan Santos Ferreira, hoje com 22 anos.

Quando teve contato com o game pela primeira vez, em 2011, ainda como aluno do Ciep João Saldanha, de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, Alan não poderia imaginar a importância que ele teria em sua vida. Em maio deste ano, ele sofreu um AVC isquêmico, que deixou o lado direito de seu corpo paralisado. Não tardou para se lembrar do aprendizado que teve com o jogo e entender melhor o que se passava com ele.

“O game me fez pensar sobre os neurônios e todos os assuntos relacionados às neurociências”, conta o jovem. “Agora, só de ver meu corpo reaprendendo a fazer os movimentos, me interessei ainda mais, já que os neurônios que morreram tiveram que dar lugar a novos neurônios para que eu pudesse movimentar meu braço e minha perna novamente.”

Alan conta que o jogo não despertou o interesse apenas dele, mas de todos os colegas da escola. “Era algo incrível, você tinha que ver como os alunos ficavam quando viram o game pela primeira vez.” Quatro anos depois, após o AVC e tendo que passar por tratamentos para recuperar os movimentos, ele decidiu que vai fazer faculdade de fisioterapia.

Criado pelos professores Glaucio Aranha e Alfred Sholl, da Organização Ciências & Cognição, o NeurAventura pretende servir como ferramenta educacional e fazer os estudantes transitarem por diferentes linguagens. “A ideia não é criar um jogo com conteúdo pré-determinado a ser passado, mas desenvolver uma plataforma que contribua para o ensino das neurociências de forma complementar, estimulando os participantes a iniciar um processo voluntário de pesquisa de informações sobre o tema”, explica Aranha, acrescentando que o projeto está em permanente desenvolvimento. “Dá para tratar desde aspectos de neuroanatomia até discussões sobre bioética.”

Coordenador do curso de jogos digitais da Universidade Metodista de São Paulo e autor do livro Tecno-pedagogia: os Games na Formação dos Nativos Digitais, Leandro Key Yanaze diz que essas ferramentas  servem como motivação e meio de aprendizado. “Quem joga está mais apto a ter uma atuação interdisciplinar e a desenvolver outras competências que não estão previstas na grade curricular.”

Yanaze elogia o NeurAventura. “Nunca vi no Brasil um exemplo tão rico de utilização de múltiplas plataformas digitais”, afirma. De acordo com o professor, o 1º Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais, encomendado pelo BNDES em 2014, apontou que 27% das empresas que atuam no setor desenvolvem jogos na linha Serious Game, que vão além do entretenimento, como os de exploração científica.

Fonte: Estadão – Disponível em: http://goo.gl/oHtyqS