A RELAÇÃO ENTRE NEUROCISTICERCOSE E EPILEPSIA

PAULA CAPORICCI CALÇA SEVILHA, ANA PAULA GOMES MIRANDA, ERICA NAVARRO SCALIANTE, PEDRO ANNO, EMERSON HENKLAIN FERRUZZI

Resumo


Neurocisticercose é condição provocada pela infecção do sistema nervoso pelo Cysticercus cellulosae, a forma larvária da Taenia solium. Uma vez instalado, o parasita possui uma série de mecanismos patológicos: efeito mecânico de compressão sobre as estruturas nervosas adjacentes; bloqueio da circulação liquórica por obstrução do sistema ventricular ou por reação inflamatória meníngea; destruição de tecido nervoso por reação inflamatória parenquimatosa ou por infarto isquêmico secundário a vasculite. Tais processos podem gerar uma série de distúrbios como cefaleias, meningites, alterações cognitivas, déficits neurológicos focais, sendo crises epilépticas sintoma o mais encontrado. O perfil epidemiológico do Brasil tem vários fatores que contribuem para formação de áreas endêmicas de neurocisticercose: clima tropical, prática de suinocultura e más condições sanitárias. Por isso, tem-se que no Brasil a neurocisticercose é considerada a causa isolada mais comum de epilepsia.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.