ABUSO DE ÁLCOOL, NEURODESENVOLVIMENTO E NEUROPLASTICIDADE NA ADOLESCÊNCIA

DRYELI CÁSSILA KINDLER, FABIANO FUGITA, LARISSA LEITE MARTINS, HELOISA DAVANSO

Resumo


A adolescência é um período critico, com grande neuroplasticidade dos circuitos pré-frontais, o que leva a um aprimoramento das habilidades cognitivas: raciocínio abstrato, concentração e aprendizado. O anseio por novas experiências, as decisões e ações impulsivas, que são conseqüência da imaturidade de circuitos orbito-frontais, predispõem ao consumo de bebidas alcoólicas. (1) (2) O córtex orbito-frontal é responsável pelo controle de impulsos e pela capacidade de antecipar as conseqüências das nossas ações. Ainda, a tendência à tomada de decisões de forma impulsiva, que também podem levar ao abuso do álcool são consequências da atividade de circuitos do pré-frontal dorsolateral, uma das últimas regiões do córtex pré-frontal a desenvolver-se. Esta área é responsável pelo planejamento antecipatório, controle de impulsos, memória de trabalho e pela capacidade de projetar um esquema de causas e consequências dos atos, automonitoramento e autocontrole no processo de tomada de decisões. Isso, explica o comportamento inconsequente dos adolescentes, sendo a ação impulsiva uma incapacidade do cérebro, ainda não desenvolvido, em suprimi-lá. Uma das neuroadaptações é sensibilização comportamental, definida como efeito estimulante após administração repetida da mesma dose de etanol. Durante o estado de sensibilização, há um maior valor na resposta mediada pela dopamina para o incentivo motivacional que as drogas exercem no corpo estriado e amígdala. Esta resposta melhorada coincide com uma atividade enfraquecida do córtex pré-frontal, refletindo num controle inibitório enfraquecido sobre a hiperatividade do sistema amígdala-estriado. Há o problema na auto-regulação do comportamento de procura de droga, conduzindo à compulsão do uso.Uma síntese emergente é que o abuso de drogas representa um comportamento estereotipado impulsionado pela neuroplasticidade mal-adaptativa em circuitos de recompensa subcortical, que é altamente resistente à reversão, tornando difícil estabelecer novos comportamentos para adultos que abusavam de substâncias quando adolescentes.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.