TERAPIA PROFUNDA E ATRATORES DE SEGUNDA ORDEM

Francisco A. P. Fialho, Ermelinda G. F. Silveira

Resumo


Resumo
O sonho de Freud e dos primeiros psicanalistas era de encontrar um lócus para os processos psicológicos. Com o desenvolvimento da matemática dos sistemas dinâmicos não lineares foi possível utilizar desta nova linguagem não para encontrar tal lócus, mas para melhor organizar os conhecimentos adquiridos sobre as estruturas conscientes e inconscientes e seus movimentos em direção a uma auto-organização. Epistemologicamente, o artigo se ancora na psicologia profunda de Jung e nas contribuições dos pós-Junguianos, abrindo para as discussões recentes com a psicologia transpessoal, principalmente citando Wilber em seus comentários sobre Jung. Exploramos neste artigo, em particular, o conceito de atrator, já intuído pela genialidade destes precursores como, por exemplo, no pente que Freud utilizava para explicar como traços eram capazes de gerar comportamentos. O artigo faz uma revisão de bibliografia, revendo alguns autores que se utilizam desta nova linguagem para descrever os comportamentos e seus estados patológicos, avançando em algumas analogias e estabelecendo, na conclusão, conjecturas que convidam os leitores a novas pesquisas.
Palavras-chave: Jung; terapia; atratores; complexidade; comportamento.

Abstract
The first psychoanalysts dream, shared by Freud, was to find a locus for the psychological processes. With the development of optimal mathematical models for nonlinear dynamical systems, it was possible to use this new language, not to find a locus, but for a better organization of the knowledge acquired about the conscious and unconscious structures and their movement toward self-organization. The article episthemology is anchored in the depth psychology of Jung and the contributions of post-Jungian. The authors bring also recent discussions with the transpersonal psychology, mainly quoting Wilber in his comments on Jung. We explore in this article, in particular, the concept of attractors, a concept already imagined by these men of extraordinary genius, Freud and Jung, exemplified by the comb that Freud used to explain how traits were able to generate behavior. The article makes a review of literature, visiting some authors who are using this language to describe both normal and pathological behavior, going further, setting some analogies and, in conclusion, formulating conjectures that opens new researches possibilities for the readers.
Keywords: Jung; therapy; attractors; complexity; behavior.

Palavras-chave


Jung; terapia; atratores; complexidade; comportamento

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




____________

Endereço postal

Ciências e Cognição
A/C Prof. Dr. Alfred Sholl Franco

Sala G0-015, Bloco G, Centro de Ciências da Saúde.
Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho.
Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Av. Carlos Chagas Filho S/N - Cidade Universitária
Ilha do Fundão - Rio de Janeiro, RJ 21.941-902, Brasil.

Contato Principal

Editors (Dr. Glaucio Aranha / Dr. Alfred Sholl-Franco)
Ciências e Cognição - Editors-in-chief

Ciências & Cognição
A/C Prof. Dr. Alfred Sholl Franco

Sala G0-015, Bloco G, Centro de Ciências da Saúde.
Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho.
Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Av. Carlos Chagas Filho S/N - Cidade Universitária
Ilha do Fundão - Rio de Janeiro, RJ 21.941-902, Brasil.

E-mails:

revista@cienciasecognicao.org (principal)
cienciasecognicao@gmail.com (alternativo)


E-mail: revista@cienciasecognicao.org

Contato de Suporte

Comunication Office
E-mail: revista@cienciasecognicao.org