MULHERES ENCARCERADAS E FATORES ASSOCIADOS A DROGAS E CRIMES

Autores

  • Regina Maria Fernandes Lopes PUCRS
  • Daniela Canazaro de Melo PUCRS
  • Irani I. de Lima Argimon PUCRS

Palavras-chave:

prevalência, crime, drogas, mulher encarcerada, álcool .

Resumo

 

Resumo

Com o aumento gradativo da violência, a população carcerária vem crescendo ao longo dos últimos anos, e está aumentando a proporção de mulheres em relação aos homens. Diversos estudos apontam prevalência mais elevada de transtornos mentais na população prisional do que na comunidade, o que pode estar associado com a criminalidade.  O estudo objetivou descrever as características sociodemográficas e clínicas da mulher encarcerada, além de verificar a prevalência de uso, abuso e dependência de álcool e outras drogas. Participaram 287 mulheres encarceradas do estado do Rio Grande do Sul (RS), Brasil. O delineamento foi de um estudo quantitativo e transversal. Os achados mostram que o perfil da mulher presa caracteriza-se por ser solteira, jovem, cumpre pena por tráfico de drogas, teve contato com o ambiente prisional antes do encarceramento através de visitas e já teve algum membro da família preso.  Foi encontrada alta prevalência de uso, abuso e dependência de drogas. © Cien. Cogn. 2010; Vol. 15 (2): 121-131.

Palavras-chave: prevalência; crime; drogas; mulher encarcerada; álcool.

 

Abstract

With the gradual increase of violence, the jail inmates' population has been growing throughout the last years, and the proportion of women, in relation to men, has increased.  Several studies point out a higher prevalence of mental derangement in prison population than in the community, which might be associated to criminality.  The study objective to describes the socio-demographic and clinical characteristics of incarcerated women, besides verifying the prevalence of use, abuse or dependency of alcohol and another drugs. Two hundred and eighty seven women incarcerated in a Female Prison participated; representing 35% of the female prison population in the State of Rio Grande do Sul (RS), Brazil. The design was that of a quantitative and transversal study.  The findings showed that the profile of jailed women is characterized by them being single, servers a sentence for drug trafficking, have had some contact with the prison atmosphere, before being interned, through visits and have already had some family member in jail. © Cien. Cogn. 2010; Vol. 15 (2): 121-131.

Keywords:  prevalence; crime; drugs; incarcerated women; alcohol.

Biografia do Autor

Regina Maria Fernandes Lopes, PUCRS

Regina Maria Fernandes Lopes, Psicóloga (PUCRS), Mestre em Psicologia (PUCRS), Especialista em Aval. Psicológica (UFRGS), Brasil. Atua como Psicóloga no Núcleo Médico Psicológico e é colaboradora do Pós-Graduação da Faculdade de Psicologia da PUCRS. Contato: Av. Assis Brasil, 3532 Conj. 516/513, Jardim Lindóia, Porto Alegre, RGSul, Brasil, CEP: 91010-003. Tel: +55 (51) 3350-5042/3350-5033, e-mail:reginaneuropsi@hotmail.com.

Daniela Canazaro de Melo, PUCRS

Daniela Canazaro de Mello, Psicóloga (PUCRS), Mestre em Psicologia (PUCRS), Doutoranda Direito (PUCRS), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Brasil. Atua como Psicóloga na Susepe/RS. E-mail: danielacanazaro@hotmail.com.

 

 

Irani I. de Lima Argimon, PUCRS

Irani I. de Lima Argimon , Psicóloga (PUCRS), Mestre Psicologia (PUCRS), Dr. em Psicologia (PUCRS), Atua como Docente do Programa de Graduação e Pós-Graduação da Faculdade de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Brasil. Pesquisadora Produtividade CNPq. E-mail:argimoni@pucrs.br.

 

 

Publicado

2010-08-06

Como Citar

Lopes, R. M. F., Melo, D. C. de, & Argimon, I. I. de L. (2010). MULHERES ENCARCERADAS E FATORES ASSOCIADOS A DROGAS E CRIMES. Ciências & Cognição, 15(2). Recuperado de http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/308

Edição

Seção

Artigos Científicos / Scientific Articles