MEMÓRIA VISUAL E TÁTIL-CINESTÉSICA PARA ESTIMATIVAS DE COMPRIMENTO E ÁREA

Autores

  • Paula Mariza Zedu Alliprandini Universidade Estadual de Londrina
  • Andrea de Paula Pesquisadora autônoma
  • Ricardo Tadeu Sandrini Barcellos Secretaria de Administração Penitenciária, Governo do Estado de São Paulo

Palavras-chave:

memória, visual, tátil-cinestésica, comprimento, área

Resumo

Resumo

A função-potência é aplicável ao estudo do processo de memória. Baseados nessa premissa e na necessidade de estudos sobre os mecanismos de memória visual e tátil-cinestésico, esta pesquisa teve como objetivo verificar, na condição memória, os expoentes da função potência nas modalidades visual e tátil-cinestésica para comprimento e área. Este estudo envolveu as fases de aquisição da informação e fase do relembrar,  havendo cinco diferentes intervalos de tempo entre as duas fases. Estimativas de 200 participantes foram feitas de acordo com o método de estimação de magnitudes. Os resultados mostraram não haver diferença significativa entre as modalidades sensoriais visual (M=0,57) e tátil-cinestésica (M=0,53) ou entre comprimento (M=0,56) e área (M=0,54). Diferenças significativas foram observadas entre os diferentes intervalos de tempo. Houve interação significativa entre o efeito da modalidade sensorial e o estímulo empregado, o qual sugere que o processo de memória visual e tátil-cinestésica seja dependente da característica do estímulo, e que a estratégia de exploração do estímulo e a presença da experiência visual e tátil-cinestésica deva ser mais intensamente investigada como variável do processo de memória visual e tátil-cinestésico.

  Abstract

The power function is applicable to the study of the memory process. Based on this premise, and on the need for studies of visual and haptic memory mechanisms, this study had the aim to verify, in the memory condition, the exponents of the power function of the visual and haptic modalities for length/thickness and area. This study involved the information acquisition and remembering phases and employed five different time intervals between both phases. Estimates of 200 participants were made according to the magnitude estimation method. The results showed that there were no significant differences among the visual (M=0.57) and haptic (M=0.53) sensorial modalities or between the length (M=0.56) and area (M=0.54) stimuli. Significant differences were observed among the different time intervals. There was a significant interaction between the sensory modality effects and stimuli, which suggests that the visual and haptic memory process is dependent on the stimulus characteristic, and that the exploration strategy and the presence of bimodal experience should be more intensely investigated as variables of the visual and haptic memory process.

Biografia do Autor

Paula Mariza Zedu Alliprandini, Universidade Estadual de Londrina

é graduada em Psicologia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), Mestre e Doutora pela Faculdade de Ciências e Letras de Ribeirão Preto/USP, Ribeirão Preto, São Paulo, Pós-Doutora em Psicologia pela “Cornell University”, Ithaca, NY, USA

Publicado

2009-03-29

Como Citar

Alliprandini, P. M. Z., Paula, A. de, & Barcellos, R. T. S. (2009). MEMÓRIA VISUAL E TÁTIL-CINESTÉSICA PARA ESTIMATIVAS DE COMPRIMENTO E ÁREA. Ciências & Cognição, 14(1), pp. 02-13. Recuperado de http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/39

Edição

Seção

Artigos Científicos / Scientific Articles