A EXPRESSIVIDADE DO PROFESSOR UNIVERSITÁRIO COMO FATOR COGNITIVO NO ENSINO-APRENDIZAGEM

Autores

  • Naymme Barbosa Faculdade de Estudos Administrativos de Minas Gerais (FEAD)
  • Elione Soraia Cavalcanti Faculdade de Estudos Administrativos de Minas Gerais (FEAD)
  • Eliene Alves Lacerda Neves Faculdade de Estudos Administrativos de Minas Gerais (FEAD)
  • Tânia Afonso Chaves Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Francisco Ângelo Coutinho Faculdade de Estudos Administrativos de Minas Gerais (FEAD)
  • Eduardo Fleury Mortimer Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Palavras-chave:

expressividade, comunicação verbal, comunicação não-verbal, formação de professores, interação

Resumo

Resumo

 

Este trabalho relata um estudo sobre a expressividade do professor. O objetivo desta análise foi investigar os recursos expressivos de fala e vocais, bem como os recursos não-verbais apresentados por treze professores universitários do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG. A metodologia foi norteada por uma combinação de abordagens qualitativa e quantitativa em que a expressividade verbal foi avaliada por meio de análise acústica e dos padrões de fluência da fala, e a expressividade não-verbal por meio de teste de reconhecimento de expressão facial e ocorrência de gestos e expressão facial em filmagens. Os dados encontrados forneceram indícios da expressividade e dos recursos utilizados por cada professor. Algumas variáveis podem facilitar a utilização mais eficaz ou aumentar o leque de recursos expressivos, como titulação, experiência e uma possível abordagem mais interativa e inovadora de ensino. Além disso, as emoções interferem na fluência do indivíduo, possivelmente nos padrões de pitch e loudness e nos parâmetros não verbais. Entretanto, estes achados apontaram para a necessidade de novos estudos com a observação e filmagem das práticas dos docentes no contexto de interação de sala de aula.

 

Abstract

 

This work reports on study about the expressiveness of the teacher. The specific aim of the analysis reported here was to investigate the verbal and non-verbal resources used by thirteen university teachers from the “Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais”. The methodology was oriented by a combination of quantitative and qualitative approaches and the verbal resources were accessed through an acoustic analysis and verbal fluency. The non verbal resources were accessed through a test about facial expression recognition, and filming. The data give evidence of a possible relation between expressiveness and both a high academic experience and a more dialogic and innovative approach to teaching. The emotions can interfere in the aspect disfluency, pitch e loudness and non-verbal resources. Nevertheless, they also point to the need of further studies relying on larger samples and, chiefly, on the observation of teaching practices in the classroom context.

Biografia do Autor

Eliene Alves Lacerda Neves, Faculdade de Estudos Administrativos de Minas Gerais (FEAD)


Tânia Afonso Chaves, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Graduada em Fonoaudiologia pela Faculdade Metodistas Integrada Isabela Hendrix, mestre em Lingüística pela Universidade Federal de Minas Gerais, e doutoranda em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Endereço para correspondência: Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Educação.

Francisco Ângelo Coutinho, Faculdade de Estudos Administrativos de Minas Gerais (FEAD)

Graduado (Licenciatura) em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais (1990), mestre em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1996), com ênfase em Lógica e Filosofia da Ciência e doutor em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2005). Atua como professor adjunto III da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Eduardo Fleury Mortimer, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Graduado em Química (Licenciatura e Bacharelado) pela Universidade Federal de Minas Gerais, mestre em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais, e doutor em Educação pela Universidade de São Paulo. Atua como professor Associado da Universidade Federal de Minas Gerais. Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Educação.

Publicado

2009-03-29

Como Citar

Barbosa, N., Cavalcanti, E. S., Neves, E. A. L., Chaves, T. A., Coutinho, F. Ângelo, & Mortimer, E. F. (2009). A EXPRESSIVIDADE DO PROFESSOR UNIVERSITÁRIO COMO FATOR COGNITIVO NO ENSINO-APRENDIZAGEM. Ciências & Cognição, 14(1), pp.75-102. Recuperado de http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/42

Edição

Seção

Artigos Científicos / Scientific Articles