A SEXUALIDADE NEGADA DO DOENTE MENTAL: PERCEPÇÕES DA SEXUALIDADE DO PORTADOR DE DOENÇA MENTAL POR PROFISSIONAIS DE SAÚDE

Autores

  • Patrícia Francisca de Brito Universidade Regional do Cariri (URCA)
  • Cleide Correia de Oliveira Universidade Regional do Cariri (URCA)

Palavras-chave:

saúde mental, doença mental, sexualidade, percepção

Resumo

Resumo

 

O presente artigo teve como objetivo, identificar as percepções da sexualidade de portadores de doença mental pelos profissionais de saúde que trabalham com os mesmos, destacando a importância da percepção para o profissional de saúde, na sua prática profissional, principalmente na maneira de lidar com esse sujeito, favorecendo ou não a recuperação. Trata-se de um estudo do tipo exploratório descritivo com abordagem qualitativa. Os dados foram coletados através de entrevista semi-estruturada, na qual participaram do estudo 20 profissionais, funcionários de uma instituição psiquiátrica da cidade de Crato, CE. Os resultados mostram que a concepção dos profissionais de saúde a respeito da sexualidade do doente mental é expressa através da negação, da associação aos desvios, transgressões e doença.  Evidencia-se, portanto, a necessidade de um olhar atento para as questões que envolvem a sexualidade deste indivíduo que precisa ser assistido em todas as suas dimensões: física, afetiva e social.

 

Abstract

This article had as goal to identify perceptions of sexuality of people with mental illness by health professionals that work with the same, underscoring the importance of perception for professional health to professional practice and it consequently influences in the way to deal with this subject, on favor or not recovery. This is a study of type explorative with descriptive qualitative approach. The data was collected through interview semi-processed structured, in which participated in the study 20 Professional staff of an institution from the city of Crato, CE. The results show that the conception of health professionals about sexuality mental ill is expressed through denial, from the association to the deviations, transgressions and disease. It proves, therefore, the need for a watchful attention to issues involving the sexuality of that needs to be assisted in all its dimensions: physical, affective and social.

Biografia do Autor

Patrícia Francisca de Brito, Universidade Regional do Cariri (URCA)

Graduada no Curso de Formação e Licenciatura em Psicologia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e concluinte da Especialização em Saúde Mental, pela Universidade Regional do Cariri (URCA). Atua como Psicóloga Educacional no Colégio Objetivo, Psicóloga Social no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e Psicóloga Clínica.

Cleide Correia de Oliveira, Universidade Regional do Cariri (URCA)

Enfermeira, Especialista em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Especialista em Administração Hospitalar e Sistemas de Saúde (UNAERP-SP), Mestra em Desenvolvimento Regional (URCA). Atua como Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem na Universidade Regional do Cariri (URCA)

Publicado

2009-03-30

Edição

Seção

Artigos Científicos / Scientific Articles