Memória motora: por que nunca esquecemos como andar de bicicleta?

Autores

  • Leonardo Perissé Rocha Escola de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil / Monitor de Neurofisiologia
  • Alfred Sholl-Franco Programa de Neurobiologia, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), Centro de Ciências da Saúde, UFRJ, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil / Professor Adjunto

Palavras-chave:

aprendizado motor, memória, cerebelo, Pavlov, condicionamento, treino

Resumo

O aprendizado motor influi em mecanismos específicos relacionados ao seu armazenamento, a chamada memória associativa, que compreende a aquisição e desenvolvimento de habilidades motoras através da repetição de gestos proporcionando a mecanização do movimento. Sua organização deve-se, possivelmente, à plasticidade no núcleo cerebelar. Com a extinção de sua prática, ao readquiri-lo , seu processo ocorre mais aceleradamente do que a aquisição original. Assim, a memória motora é importante, não somente para, posteriormente, executar a mesma atividade com maior facilidade; como também, no aprendizado de novos gestos que possuem movimentos similares. © Ciências & Cognição 2006; Vol. 09: 158-161.

Biografia do Autor

Leonardo Perissé Rocha, Escola de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil / Monitor de Neurofisiologia

Monitor de Neurofisiologia do Programa de Neurobiologia, IBCCF (UFRJ) e Graduando do Curso de Licenciatura em Educação Física e Desportos (UFRJ), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Alfred Sholl-Franco, Programa de Neurobiologia, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), Centro de Ciências da Saúde, UFRJ, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil / Professor Adjunto

Biólogo (FAMATh), Especialista em Neurobiologia (UFF), Mestre e Doutor em Ciências (UFRJ). Atua como Professor Adjunto no IBCCF (UFRJ) e orientou este trabalho.

Publicado

2011-03-30

Como Citar

Rocha, L. P., & Sholl-Franco, A. (2011). Memória motora: por que nunca esquecemos como andar de bicicleta?. Ciências & Cognição, 9. Recuperado de http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/595

Edição

Seção

Ensaios Acadêmicos / Essays