De sujeito a sistema de informação: como as novas concepções de mente afetam a subjetividade

Autores

  • Fátima Régis Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Faculdade de Comunicação Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil / Professora Adjunta

Palavras-chave:

informação, subjetividade, mente, ciências cognitivas, filosofia

Resumo

O artigo tem como objetivo refletir sobre o modo como as novas concepções de mente esgarçam as fronteiras entre homens, animais e máquinas, colocando em questão a subjetividade e o lugar do humano no mundo. Na primeira seção, o texto mostra como na modernidade a mente era exclusiva do sujeito, e garantia a sua singularidade e superioridade sobre animais e máquinas. Na segunda parte, discute-se como pesquisadores de áreas como ciências cognitivas, neurociências, inteligência artificial e filosofia têm dissociado a inteligência e o pensamento da existência de uma consciência de si, trazendo questionamentos sobre o que é pensar? e quem pensa? © Ciências & Cognição 2006; Vol. 09: 137-145.

Biografia do Autor

Fátima Régis, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Faculdade de Comunicação Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil / Professora Adjunta

Doutora em Comunicação e Cultura (ECO/UFRJ). Atua como Professora Adjunta dos Cursos de Graduação e de Pós-Graduação em Comunicação (Faculdade de Comunicação Social - UERJ).

Como Citar

Régis, F. (1). De sujeito a sistema de informação: como as novas concepções de mente afetam a subjetividade. Ciências & Cognição, 9. Recuperado de http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/605

Edição

Seção

Ensaios Acadêmicos / Essays