SABER FORMAL E SABER LOCAL: CONVERGÊNCIAS E ASSIMETRIAS

José Carlos Leite, Eude Fernandes Leite

Resumo


Resumo

O texto busca problematizar convergências e assimetrias relacionadas ao saber formal e aos saberes locais. Suspeita-se que a assimetria entre os saberes referidos ocorre no processo de difusão, e não no momento de sua criação. Aí haveria uma convergência entre o saber formal e os saberes locais. Outra suspeita é que o papel preponderante para a ocorrência de assimetrias ou ­demarcação de fronteiras seria propiciado pelo ambiente físico-social, por meio dos processos em deriva que marcam o espalhamento de toda criação. O que o texto apresenta de novo é que seus resultados surgem não apenas de uma revisão bibliográfica, ou de um discurso meramente especulativo a respeito da relação entre saber local e formal, mas também toma por base vivências dos autores, observações de campo e mesmo experimentações monitoradas e controladas. © Cien. Cogn. 2012; Vol. 17 (2): 135-154.

Palavras-chave: saber local; saber formal; tecnologias do precário; quilombolas do Guaporé.

 


Palavras-chave


saber local; saber formal; tecnologias do precário; quilombolas do Guaporé

Texto completo:

PDF

Referências


Alves, R.. (1993). Filosofia da ciência: introdução ao jogo e suas regras. 17. ed. São Paulo: Brasiliense.

Bandeira, M. L. (1988). Território negro em espaço branco: um estudo antropológico de Vila Bela. São Paulo: Brasiliense/CNPq.

Boff, L. (1999). Saber cuidar: ética do humano – compaixão pela Terra. Petrópolis: Vozes.

Brandão, L.; Preciosa, R. (2010). A invenção e a rua: da apropriação/reinvenção de objetos precários. Concinnitas, 2 (17), 146-157.

Castro, M.I.; Galetti, L.S.G. (1994). Histórico dos usos da biodiversidade em Mato Grosso. In: Castro, C. (Org.). Diagnóstico florestal de Mato Grosso. Brasília: IBAMA-ITTO-FUNATURA.

D´Ambrosio, U. (2006). A volta ao mundo em 80 matemáticas. Sicentific American Brasil. São Paulo, n. 11. Edição Especial – Etnomatemática. Disponível em: http://www.scribd.com/doc/7857841/Scientific-American-Etnomatematica. Acesso em: 16 de jul. 2010.

Deleuze, G; Guattari, F. (1997). O Liso e o Estriado. Em: Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. (Trad., Pelbart, P.P.; Caiafa, J.). São Paulo: Ed. 34.

Descartes, R. (1979). O método. São Paulo: Abril Cultural.

Galilei, G. (1987). O ensaiador. [Il Saggiatori, de 1623] (Trad., Barraco, H.). São Paulo: Abril Cultural.

Geertz, C. (2009). O saber local: novos ensaios em antropologia interpretativa. 11a ed. (Trad., Joscelyne, V.M.). Petrópolis/RJ: Vozes.

Ginzburg, C. (1989). Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In: Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras.

Leite, Eudes Fernando. (2003). Marchas na história: comitivas e peões-boiadeiros no Pantanal. Campo Grande/Brasília: Ministério da Integração Nacional/EdUFMS.

Leite, J.C. (1993). Resistência e transformação do campesinato matogrossense: aspectos da luta pela terra no sudoeste de Mato Grosso. Cuiabá, 1983. Dissertação (Mestrado em Educação), Instituto de Educação, UFMT.

Leite, J.C.; Silva, V.C.; Mendes, R.R. (2010). Saber mestiço entre quilombolas do Guaporé – Vila Bela, MT, Brasil. Em: Casa de las Américas (revista). Cuba (no prelo).

Lopes, J.L. (1991). A imagem física do mundo: de Parmênides a Einstein. Estudos Avançados, 12 (5), 91-121.

Maturana, H.; Varela, F. (2001). A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana (Trad., Mariotti, H.; Diskin, L.). São Paulo: Palas Athena.

Platão. (1979). Diálogo Fédon. São Paulo: Abril Cultural.

Popper, K. (1980). A Lógica da investigação científica. São Paulo: Abril Cultural.

Projeto Guyagrofor (2006). Quilombolas do Guaporé – diagnóstico socioeconômico e ambiental (Relatório da 1ª. Fase). Cuiabá, UFMT. Programa de Pós-Graduação em História.

Santos, B.S. (2000). A crítica razão indolente: contra o desperdício da experiência (v. 1). Para um novo senso comum: a ciência, o direito e a polícia na transição paradigmática. São Paulo: Cortez.

Santos, B.S. (2008). A gramática do tempo: para uma nova cultura política. 2a ed. São Paulo: Cortez.

Santos, B.S. (2010). Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia dos saberes. Em: Santos, B.S.; Menezes, M.P.G. (Org.). Epistemologias do Sul (pp. 31-83). São Paulo: Cortez.

Santos, B.S; Menezes, M.P.G. (2010). Epistemologias do Sul. (pp. 31-83). São Paulo: Cortez.

Santos, B.S.; Meneses, M.P.G.; Nunes, J.A. (2004). Introdução: para ampliar o cânone da ciência: a diversidade epistemológica do mundo. Em: Santos, B.S. (Org.). Semear outras soluções: os caminhos da biodiversidade e dos conhecimentos rivais. (pp. 19-101). Porto: Afrontamento.

Serres, M. (1990). O que Tales viu aos pés da pirâmide. Em: Machado, R.; Poirot-deopech, S. (Org.). Hermes: uma filosofia das ciências. (Trad., Daher, A.). Rio de Janeiro: Graal.

Singer, P. (1994). Ética prática. São Paulo: Martins Fontes.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




____________

Endereço postal

Ciências e Cognição
A/C Prof. Dr. Alfred Sholl Franco

Sala G0-015, Bloco G, Centro de Ciências da Saúde.
Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho.
Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Av. Carlos Chagas Filho S/N - Cidade Universitária
Ilha do Fundão - Rio de Janeiro, RJ 21.941-902, Brasil.

Contato Principal

Editors (Dr. Glaucio Aranha / Dr. Alfred Sholl-Franco)
Ciências e Cognição - Editors-in-chief

Ciências & Cognição
A/C Prof. Dr. Alfred Sholl Franco

Sala G0-015, Bloco G, Centro de Ciências da Saúde.
Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho.
Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Av. Carlos Chagas Filho S/N - Cidade Universitária
Ilha do Fundão - Rio de Janeiro, RJ 21.941-902, Brasil.

E-mails:

revista@cienciasecognicao.org (principal)
cienciasecognicao@gmail.com (alternativo)


E-mail: revista@cienciasecognicao.org

Contato de Suporte

Comunication Office
E-mail: revista@cienciasecognicao.org