ASPECTOS NEURAIS EM CHUTES NO FUTEBOL: UM ESTUDO DE CASO SOBRE A ADAPTAÇÃO DE TÉCNICAS CINEMÉTRICAS PARA AVALIAÇÃO E TREINAMENTO COGNITIVO

Autores

  • Erick Quintas Conde Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Alberto Filgueiras Pontifícia Universidade Católica (RJ)
  • Joana Bastos Matos Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas.
  • Raphaela Barbosa de Andrade Psicóloga do esporte (autônoma)
  • Paulo Sérgio Ribeiro Sportphysio; Centro de Estudo e Pesquisa em Psicologia do Esporte (CEPPE)
  • Adriana de Lacerda Miranda Universidade Veiga de Almeida
  • Emílio Takase Universidade Federal de Santa Catarina

Palavras-chave:

cognição, futebol, chutes, neurociências, movimento.

Resumo

Resumo

Nos esportes, procedimentos de cinemetria são amplamente utilizados para a análise do gestual do atleta, mas raramente são empregados de forma a considerar aspectos cognitivos relacionados ao movimento. O presente trabalho se constitui como um estudo de caso que discute a implementação de um método cinemétrico capaz de considerar também processos cognitivos de alta ordem durante chutes de bola parada no futebol, como o cálculo da dimensão espacial, o estabelecimento de engramas motores, a identificação de tendências motoras e a variabilidade da precisão. As imagens da variação motora ao redor de um alvo pré-estabelecido foram analisadas através do software Dartfish Connect e através de análises estatísticas. Para descrição dos resultados, consideramos a distribuição espacial dos chutes ao redor do alvo e a identificação de tendencias nos programas motores. Os achados foram compartilhados com atletas e comissão técnica a fim de ampliar a consciência dos detalhes relacionados ao desempenho individual. Em conclusão, vimos que a adaptação metodológica da cinemetria para o estudo da cognição relacionada ao chute pode auxiliar treinadores na escolha do cobrador mais eficiente e na identificação das melhores estratégias para estímulos no treinamento personalizado. © Cien. Cogn. 2012; Vol. 17 (2): 177-184.

Palavras-chave: cognição; futebol; chutes; neurociências; movimento.


Biografia do Autor

Erick Quintas Conde, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Doutor em Neurociências (UFF); prof. Adjunto do departamento de Psicologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Alberto Filgueiras, Pontifícia Universidade Católica (RJ)

Núcleo de Neuropsicologia Clínica e Experimental, PUC-Rio. Departamento de Psicologia.

Joana Bastos Matos, Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas.

Pesquisadora do Laboratório de Educação Cerebral (UFSC)

Raphaela Barbosa de Andrade, Psicóloga do esporte (autônoma)

Atuou na área da psicologia do esporte no C.R. do Flamengo e no Botafogo de Futebol e Regatas

Paulo Sérgio Ribeiro, Sportphysio; Centro de Estudo e Pesquisa em Psicologia do Esporte (CEPPE)

Pesquisador e Docente do Centro de Estudo e Pesquisa em Psicologia do Esporte (CEPPE)

Adriana de Lacerda Miranda, Universidade Veiga de Almeida

Docente no curso de graduação em psicologia (UVA) e no curso de pós-graduação em Psicologia e Neurociências do Esporte (Uni-IBMR); psicóloga da seleção brasileira de judô (CBJ)

Emílio Takase, Universidade Federal de Santa Catarina

Atua como professor associado e coordena as atividades de pesquisa no Laboratório de Educação Cerebral (UFSC)

Referências

Amadio, A.C. (1996). Fundamentos biomecânicos para análise do movimento humano. São Paulo: Laboratório de Biomecânica/EEFUSP.

Conselho Nacional de Saúde (1996). Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Resolução CNS 196/96. Bioética, 4, 15-25.

Declaração de Helsinki (2008). Princípios éticos para pesquisa médica envolvendo seres humanos. Jornal da Associação Médica Brasileira (JAMB), São Paulo, 31- 34.

Dörge, H.C.; Andersen, T.B.; Sørensen, H.; Simonsen, E.B. (2002) Biomechanical differences in soccer kicking with the preferred and the non-preferred leg. J. Sports Sci., 20(4), 293–299.

Mataruna, L.; Ribeiro, M.M.; Albuquerque, M.; Silva, N.W.P. (2009). A utilização do sistema de análise video-scouting no processo do treinamento de atletas femininas de judô: um estudo sobre a previsibilidade de repetição do gesto motor "deslocamento" em competição de alta performance. Revista De Educação Física - Escola de Educação Física do Exército, 147, 98-98.

Morris, M.E.; Summers, J.J.; Matyas, T.A; Iansek, R. (1994). Current Status of the Motor Program. Phys. Therapy, 74 (8), 738-748.

Russel M.; Kingsley M. (2011). Influence of Exercise on Skill Proficiency in Soccer. Sports Med., 41 (7), 523-539.

Savelsbergh, G.J.P.; Williams, A.M.; van Der Kamp, J.; Ward, P. (2002). Visual search, anticipation and expertise in soccer goalkeepers. J. Sports Sci., 20, 279-287.

Scott, S.H. (2004). Optimal feedback control and the neural basis of volitional motor control. Nature Rev. Neurosci., 5 (7), 532-546.

Stevens, S.S. (1975). Psychophysics: introduction to its perceptual, neural, and social prospects. New York: Wiley-Interscience.

Vaeyens, R.; Lenoir, M.; Williams A.M.; Mazyn L.; Philippaerts R.M. (2007). The Effects of Task Constraints on Visual Search Behavior and Decision-Making Skill in Youth Soccer Players. J. Sport Exercise Psychol., 29, 147-169.

Vetter, P.; Wolpert, D.M. (2000). Context Estimation for Sensorimotor Control. J. Neurophysiol., 84, 1026-1034.

Wolpert, D.M.; Ghahramani, Z. (2000). Computational principles of movement neuroscience. Nature Rev., 3, 1212-1217.

Publicado

2012-09-13

Edição

Seção

Estudo de Caso / Case Study