Fadiga mental ocasionada por tarefa cognitiva de imagética motora

O artigo “Fadiga mental ocasionada por tarefa cognitiva de imagética motora”, de Samaritana Barros do Nascimento e Heloísa Marques, publicado no vol. 24 (2), de Ciências & Cognição, apresenta um estudo revisional sobre o tema. Para a análise literária, foram utilizados os bancos de dados eletrônicos: Public Medline (PubMed), Scientific Electronic Library Online (Scielo) e Scopus. Foram analisados estudos experimentais, realizados em humanos, nos idiomas português e inglês, publicados de 2004 a 2019. As palavras chaves utilizadas foram: motor imagery / imagética motora, sustained attention / atenção sustentada e mental fadigue / fadiga mental. A tarefa de Imagética Motora (IM) é definida como uma execução mental do movimento do corpo, entretanto, sem nenhuma saída motora. Alguns autores sugerem que o indivíduo começaria a desenvolver fadiga acima de 60 trilhas de imagética motora. Dessa forma, pode comprometer os resultados de protocolos terapêuticos e/ou desportivos, além de desempenhar um risco eminente de problemas de saúde, como é o caso das doenças cardiovasculares, epiléticas e Karoshi (morte por excesso de trabalho). Sendo assim, em tarefas mais prolongadas, a fadiga mental diminui o desempenho na tarefa e aumenta o tempo para a sua execução. Portanto, conclui-se que o tempo da tarefa cognitiva interfere no tempo de reação devido a fadiga mental provocado pela tarefa cognitiva de atenção sustentada.

Para ao texto integral, clique aqui.

Citação:

Nascimento, S. B. do, & Marques, H. (2020). Fadiga mental ocasionada por tarefa cognitiva de imagética motora. Ciências & Cognição25 (1), 30-42. Recuperado de http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1634