A FAMÍLIA É O MELHOR RECURSO DA CRIANÇA: ANÁLISE DAS TROCAS SOCIAIS ENTRE MÃES E CRIANÇAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO DO AUTISMO

Autores

  • Mônica Brotas Correa Universidade de Vila Velha - UVV
  • Sávio Silveira de Queiroz Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Palavras-chave:

família, transtorno de espectro autista, trocas sociais, intervenção precoce

Resumo

A visão desenvolvimentista sobre o autismo o compreende como produto de uma predisposição inata em interação com contextos de desenvolvimento. Essa premissa implica em uma abordagem bidirecional às relações entre família e criança com Transtorno de Espectro Autista (TEA). Um dos aspectos estudados nessa relação refere-se à investigação do papel dos cuidadores primários na construção da intersubjetividade primária. Para uma abordagem dinâmica das relações entre família e criança com TEA analisamos as trocas sociais entre 15 díades formadas por crianças com diagnóstico de TEA, submetidas a um programa de intervenção precoce, e suas mães. Por meio de análise microgenética, foram investigadas as trocas realizadas na sessão inicial e na sessão final do programa de intervenção. Observamos mudanças no padrão de trocas sociais que passaram a ser equilibradas em 13 das 15 díades participantes em decorrência do aumento na sintonia entre os meios de interação empregados na díade. Conclui-se que com sistema de acolhimento e orientação familiar é possível criar ambientes de desenvolvimento adequados à superação das dificuldades próprias do autismo que auxiliem os pais a se tornarem o melhor recurso de desenvolvimento para seus filhos.

Biografia do Autor

Mônica Brotas Correa, Universidade de Vila Velha - UVV

Doutora em Psicologia do Desenvolvimento pela Universidade Federal do Espírito Santo (2014). Possui mestrado em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (2005). Atualmente compõe a equipe de educação permanente da ETSUS Vitória ES- Secretaria Municipal de Saúde de Vitória. Coordenadora Pedagógica do Curso de Medicina da Universidade Vila Velha e professora do curso de graduação em psicologia. Atua na área de psicologia da aprendizagem e do desenvolvimento  e neuropsicologia, com foco em estudos sobre Intervenção Precoce em Transtorno do Espectro do Autismo. 

Sávio Silveira de Queiroz, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Graduado em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (1988); mestrado em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (1995) e doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo (2000). Atuou como Presidente Nacional da Sociedade Brasileira de Psicologia do Desenvolvimento - SBPD (atual ABPD), no período entre 2006 e 2008. Foi Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFES 2002-2004. Atualmente é professor Associado IV da Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Humanas e Naturais, no Departamento de Psicologia Social e do Desenvolvimento. Orienta pesquisas e estágios na área de Psicologia do Desenvolvimento, com ênfase em Processos Perceptuais e Cognitivos; Desenvolvimento e Saúde, atuando principalmente nos seguintes temas: epistemologia genética, psicologia genética, construtivismo, jogos de regras, afeto e moralidade.

Publicado

2017-06-30

Como Citar

Correa, M. B., & Queiroz, S. S. de. (2017). A FAMÍLIA É O MELHOR RECURSO DA CRIANÇA: ANÁLISE DAS TROCAS SOCIAIS ENTRE MÃES E CRIANÇAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO DO AUTISMO. Ciências & Cognição, 22(1). Recuperado de https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1382

Edição

Seção

Artigos Científicos / Scientific Articles