Táticas da cognição: a simulação e o efeito de real

Autores

  • Maria Inês Accioly Escola de Comunicação (ECO), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil / Doutoranda

Palavras-chave:

simulação, cognição incorporada, enação

Resumo

Este trabalho tem como objetivo enquadrar a simulação no campo teórico da cognição, propondo a seguinte definição: simulação é uma estratégia cognitiva interativa baseada na produção de efeito de real a partir de modelos. Tal definição apóia-se no pensamento filosófico sobre o simulacro, na tradição das ciências experimentais e na tecnologia computacional contemporânea, cujos modelos algorítmicos de simulação encontram amplo emprego na produção de conhecimento. Procuramos, também, ressonâncias desse tema - simulação - nas teorias formuladas desde o século XIX que incluíram a participação do observador no conceito de cognição, como a tese de Bergson da indissociabilidade entre percepção e ação e o conceito de enação em Varela. © Ciências & Cognição 2006; Vol 09: 56-63.

Biografia do Autor

Maria Inês Accioly, Escola de Comunicação (ECO), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil / Doutoranda

Jornalista, consultora em comunicação corporativa e doutoranda em Comunicação na linha de pesquisa Tecnologias de Comunicação e Estéticas (ECO/UFRJ).

Publicado

2011-04-02

Como Citar

Accioly, M. I. (2011). Táticas da cognição: a simulação e o efeito de real. Ciências & Cognição, 9. Recuperado de https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/604

Edição

Seção

Artigos Científicos / Scientific Articles