ILUSÃO DA MÁSCARA CÔNCAVA DURANTE A SÍNDROME DE ABSTINÊNCIA LEVE DO ÁLCOOL

Autores

  • Maria Amélia Cesari Quaglia Universidade Federal de Sãoi João del-Rei
  • Lívia da Silva Bachetti Universidade de São Paulo
  • Rodrigo Siqueira Câmara Universidade Federal de Sãoi João del-Rei
  • Joanna Gonçalves de Andrade Tostes Universidade Federal de Sãoi João del-Rei
  • Thamires Moura Dias Universidade Federal de Sãoi João del-Rei
  • Ângela Virgínia Pinto Parreira Universidade Federal de Sãoi João del-Rei

Palavras-chave:

ilusão, máscara côncava, inversão visual da profundidade, percepção de faces, síndrome de abstinência do álcool

Resumo

Resumo

A ilusão da máscara côncava caracteriza-se pela inversão visual da profundidade durante a observação do reverso de uma máscara da face humana, que é percebido como convexo. O objetivo deste trabalho foi investigar a percepção monocular da profundidade ou relevo de uma máscara côncava, sob quatro condições de iluminação distintas, em 8 indivíduos com a Síndrome de Abstinência do Álcool (SAA) leve comparativamente a 8 participantes saudáveis. As contribuições nesta área de investigação são escassas e os resultados encontrados são controversos. Além disso, resta investigar a condição monocular de observação do estímulo. A máscara côncava foi posicionada no interior de uma caixa e observada através de um visor. Não foram observadas diferenças significativas entre os indivíduos com a SAA leve e os observadores saudáveis. A maioria dos observadores realizou a inversão visual da profundidade da máscara côncava, percebendo a face ilusória convexa. Ressalta-se a supremacia dos processos cognitivos, de alta ordem (top-down), sobre os processos sensoriais, de baixa ordem (bottom-up), na ilusão da máscara côncava. A observação monocular facilitou a ilusão e não foi adequada para investigar os prejuízos no processamento cognitivo de informações visuais causados pela SAA leve.

Palavras-chaves: ilusão; máscara côncava; inversão visual da profundidade; percepção de faces; síndrome de abstinência do álcool.

 

Abstract

The hollow-face illusion is the visual depth inversion that happens when a hollow mask of a human face is perceived as convex. The aim of this work was to investigate the monocular perception of depth or relief of a hollow mask, under four distinct illumination conditions, in 8 individuals with mild alcohol withdrawal, comparing to 8 healthy participants. Scientific contributions in this research area are scarce and the results are controversial. Furthermore, it remains to investigate the status of monocular observation of the stimulus. The hollow mask was placed inside of a box and observed through a viewfinder. There was not significant differences between the individuals with mild alcohol withdrawal and the healthy observers. The significant majority of the observers made the visual depth inversion, perceiving the convex illusory face. It is important to notice the dominance of the high order, cognitive process (top-down)  over  low order sensorial process (bottom-up)  in the hollow-face illusion. The monocular observation facilitated illusion and it was not suitable to investigate the impairments in the cognitive processing of visual information caused by mild SAA.

Keywords: illusion; hollow-face; visual depth inversion; face perception; alcohol withdrawal syndrome.

Biografia do Autor

Maria Amélia Cesari Quaglia, Universidade Federal de Sãoi João del-Rei

M.A.C. Quaglia – Graduado em Licenciatura em Psicologia e Formação de Psicólogo pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras; Graduada em Pedagogia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras; Mestre e Doutora em Psicobiologia pela FFCLRP, Universidade de São Paulo - USP. Atualmente é Professora Associada da Universidade Federal de São João del-Rei - UFSJ. 

Lívia da Silva Bachetti, Universidade de São Paulo

L.S. Bachetti – Graduada em Psicologia pela Universidade Federal de São João del-Rei; Mestre em Psicologia pela Universidade Federal de São João del-Rei. Doutoranda em Psicobiologia pela FFCLRP, Universidade de São Paulo – USP.

Rodrigo Siqueira Câmara, Universidade Federal de Sãoi João del-Rei

R.S. Câmara – Graduado em Psicologia pela Universidade Federal de São João del-Rei. Mestrando em Psicologia pela Universidade Federal de São João del-Rei.

Joanna Gonçalves de Andrade Tostes, Universidade Federal de Sãoi João del-Rei

J.G.A. Tostes – Graduada em Psicologia pela Universidade Federal de São João del-Rei. Mestranda em Psicologia pela Universidade Federal de São João del-Rei.

Thamires Moura Dias, Universidade Federal de Sãoi João del-Rei

T.M. Dias. Graduada em Psicologia pela Universidade Federal de São João del-Rei.

Ângela Virgínia Pinto Parreira, Universidade Federal de Sãoi João del-Rei

A.V.P. Parreira. Graduada em Psicologia pela Universidade Federal de São João del-Rei.

Publicado

2014-12-29

Como Citar

Quaglia, M. A. C., Bachetti, L. da S., Câmara, R. S., Tostes, J. G. de A., Dias, T. M., & Parreira, Ângela V. P. (2014). ILUSÃO DA MÁSCARA CÔNCAVA DURANTE A SÍNDROME DE ABSTINÊNCIA LEVE DO ÁLCOOL. Ciências & Cognição, 19(3). Recuperado de https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/949

Edição

Seção

Artigos Científicos / Scientific Articles