DESENVOLVIMENTO E EVOLUÇÃO: PARALELISMO OU TRANSVERSALIDADE?

Autores

  • Breno Pitol Trager Universidade Estadual de Maringá
  • Carolina Laurenti Universidade Estadual de Maringá

Palavras-chave:

organismo, ambiente, darwinismo, epigenética, desenvolvimento, evolução

Resumo

Resumo

Este ensaio discute as relações entre evolução e desenvolvimento, por meio da identificação de algumas das diferentes acepções de organismo e ambiente que emergiram na Biologia Evolutiva e na Biologia do Desenvolvimento. Inicialmente, duas acepções de organismo são examinadas no contexto do desenvolvimento: uma delas é a pré-formacionista, reeditada na ideia contemporânea de determinismo genético, a outra é epigenética. Verifica-se, em seguida, como os conceitos de organismo subjacentes a essas concepções se articulam com a leitura neodarwinista do processo evolutivo. Uma primeira decorrência dessa análise é que o neodarwinismo subscreve um paralelismo entre desenvolvimento e evolução, a despeito da natureza do processo desenvolvimental em questão. Examina-se, então, uma alternativa a esse quadro presente no paradigma epigenético, que encaminha uma relação transversal entre desenvolvimento e evolução, mediada pela centralidade da experiência ambiental do organismo nessas duas dimensões biológicas. Conclui-se que o paradigma epigenético se encontra em melhor posição de consolidar não só um programa unificante entre as ciências desenvolvimental e evolutiva, como também suscita uma discussão dos valores que permeiam a práxis dessas ciências.

Palavras-chave: organismo; ambiente; darwinismo; epigenética; desenvolvimento; evolução.

 

Abstract:

This essay discusses the relationship between evolution and development through the identification of some of the different meanings of organism and environment that emerged in the Evolutionary Biology and Developmental Biology. Initially, two meanings of organism are examined in the developmental context: one of them is the preformationist, reprinted in contemporary idea of genetic determinism, and the other is the epigenetics. It is verified, then, as the concepts of the organism underlying these conceptions are articulated with the neo-Darwinian interpretation of the evolutionary process. A first result of this analysis is that neo-Darwinism supports a parallel between development and evolution, regardless of the nature of the developmental process in question. Then it examines an alternative to that present in the epigenetic paradigm that forward a tranversal relationship between development and evolution, mediated by the centrality of environmental experience of the organism in these two dimensions biological. It is concluded that the epigenetic paradigm is in a better position to consolidate not only unifying program between developmental and evolutionary sciences but also raises a discussion of the values that permeate the practice of these sciences.

Keywords: organism; environment; Darwinism; Epigenetics; development; evolution

Biografia do Autor

Breno Pitol Trager, Universidade Estadual de Maringá

Graduando do curso de Psicologia da Universidade Estadual de Maringá.

Carolina Laurenti, Universidade Estadual de Maringá

Graduada em Psicologia pela Universidade Estadual de Londrina. Mestre e doutora em Filosofia pela Universidade Federal de São Carlos. Atua como professora adjunta no Departamento de Psicologia da Universidade Estadual de Maringá.

Publicado

2014-12-29

Como Citar

Pitol Trager, B., & Laurenti, C. (2014). DESENVOLVIMENTO E EVOLUÇÃO: PARALELISMO OU TRANSVERSALIDADE?. Ciências & Cognição, 19(3). Recuperado de https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/966

Edição

Seção

Ensaios Acadêmicos / Essays