ORGANIZATIONAL STUDIES AND NEUROSCIENCE: APPROACHES IN RELATION TO THE CONCEPTS OF CREATIVITY AND INNOVATION

Autores

  • Dusan Schreiber Universidade FEEVALE
  • Ivan Antônio Pinheiro UFRGS

Palavras-chave:

Criatividade, Inovação, Gestão, Neurociência.

Resumo

Abstract

Both business study and practice have historically used the knowledge developed in other domains such as Biology, Psychology, and Psychiatry, among others. Analysis of general behaviors (leadership, motivation, consumer, etc.), identification and quantification of a tendency to take risks and make decisions, cognitive mechanisms adjacent to creative generation (essence of innovation), the role of elderly people in the organizational productive environment, among others, are examples of administrative applications that require a new approach and a new attitude. Reorganization of neurons, maps and neural signatures, mirror neurons, plasticity, brain-machine interfaces, the role of neurotransmitters and modulators in the teaching-learning process and in the control of emotions, among others, are concepts whose domain will soon be required from managers because they are needed to future management practices. Thus, this study proposes to fill this current gap through a technical-scientific essay based on bibliographical references, establishing a bridge for reflection and problematizations within the field of the organizational studies (Management, Economy, Organizational Communication, and other related) , through suggestions, the new field that now unfolds to business research and practice.

Keywords: Creativity; innovation; management; neurosciences; organizational practices.

 

Resumo

Historicamente, tanto as pesquisas acadêmicas como as práticas organizacionais, tem se utilizado do conhecimento de outras áreas de conhecimento, como a Biologia, Psicologia e Psiquiatria, entre outros. Análise de comportamentos gerais (liderança, motivação, de consumo, etc.), a qualificação de tendências a assumir riscos e tomar decisões, mecanismos cognitivos adjacentes a geração criativa (essência da inovação), entre outros, são exemplos de aplicações administrativas que exigem uma nova atitude. Reorganização de neurônios, mapas e assinaturas neurais, os neurônios-espelho, plasticidade, interfaces cérebro-máquina, o papel dos neurotransmissores e moduladores do processo de ensino-aprendizagem e no controle das emoções, entre outros, são conceitos que futuramente deverão ser dominados pelos gestores organizacionais. Assim, este estudo se propõe a preencher esta lacuna corrente, estabelecendo uma ponte para reflexões e problematizações dentro do campo dos estudos organizacionais (Administração, Economia, Comunicação Organizacional e outros relacionados), através de um ensaio técnico-científico com base em referências bibliográficas,  para evidenciar o novo campo que agora se desdobra para a pesquisa e as práticas organizacionais.

Palavras-chave: Criatividade; Inovação; Gestão; Neurociência; Práticas Organizacionais

Biografia do Autor

Dusan Schreiber, Universidade FEEVALE

Doutor em Administração pela UFRGS (2009)

Publicado

2015-04-30

Como Citar

Schreiber, D., & Pinheiro, I. A. (2015). ORGANIZATIONAL STUDIES AND NEUROSCIENCE: APPROACHES IN RELATION TO THE CONCEPTS OF CREATIVITY AND INNOVATION. Ciências & Cognição, 20(1). Recuperado de https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/999

Edição

Seção

Administração / Gestão do Conhecimento / Engenharia do Conhecimento