https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/issue/feed Ciências & Cognição 2021-12-31T00:00:00-02:00 Prof. Dr. Glaucio Aranha (Editor-Chefe) revista@cienciasecognicao.org Open Journal Systems <p>O periódico <em><strong><a href="http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/index" target="_blank" rel="noopener">Ciências &amp; Cognição</a></strong></em> (<em>Cien. Cogn</em>. - ISSN 1806-5821) é a publicação científica oficial da <em>Organização Ciências e Cognição</em> (OCC) e do <em>Núcleo de Divulgação Científica e Ensino de Neurociência</em> (NuDCEN, da UFRJ). Seu foco é o estudo da cognição e seus processos, a partir do olhar interdisciplinar estabelecendo um diálogo acadêmico entre as chamadas Ciências Cognitivas. Possui <strong>índice h5 = 6; Mediana h5 = 9</strong><strong> </strong>(https://goo.gl/fvdgn3). </p> <p>Na versão preliminar da <strong>nova tabela de qualificação da Qualis</strong> (2017-2018) para periódicos científicos, está prevista a qualificação <strong>A4</strong> para a revista <strong>Ciências &amp; Cognição</strong>.</p> <p>No<strong> QUALIS 2013-2016</strong>, <em>Ciências &amp; Cognição</em> está presente na avaliação de vários comitês, reforçando seu caráter interdisciplinar. As maiores avaliações são <strong>B1</strong> em Linguística/Literatura, Ciências Ambientais, Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo;<strong> B2 </strong>em Interdisciplinar, Psicologia, Educação, Ensino, Arquitetura, Urbanismo e Design;<strong> B3</strong> em Filosofia, Enfermagem; <strong>B4 </strong>em Saúde Coletiva, e Medicina II; <strong>B5</strong> em Biotecnologia, Nutrição, Engenharias II, Engenharias III, Ciência da Camputação, Química, <strong>C</strong> em Medicina I, Ciências Biológicas I, e Ciências Biológicas II. </p> <p> </p> https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1672 O Viés da escalada, daemons de otimização e a influência da narrativa social aceleracionista 2020-08-23T10:32:24-03:00 Nicholas Corrêa nicholas.correa@acad.pucrs.br <p>O fenômeno de aceleração social, intimamente ligado a nossa modernização tecnológica e os sistemas políticos e sociais que adotamos, vem sendo alvo de questionamentos por parte da teoria crítica por diversos filósofos e sociólogos, principalmente em relação a se tal “aceleração” seja algo que, possa ser justificável pelo bem comum da sociedade. De fato, as rápidas mudanças que ocorreram no último século causaram uma tremenda mudança em nossos estilos-de-vida, e na maneira como experienciamos o mundo. Que a nossa sociedade mudou e continua a mudar é um fato evidente quando olhamos criticamente para o passado e presente, e comparamos diferentes épocas da história humana. Neste ensaio tentaremos explorar algumas possíveis hipóteses que fundamentem o comportamento aceleracionista em certos fatores e mecanismo biológicos que caracterizam os sistemas de motivação e saciação humanos. Também tentaremos mostrar como certos fenômenos sociais podem auxiliar em fortalecer este tipo de comportamento, e suas possíveis origens evolutivas. Este estudo tem como objetivo principal fundamentar a Tese Aceleracionista em evidências neurofisiológicas, cognitivo-comportamentais, evolutivas e sociais.</p> 2021-12-31T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2022 Ciências & Cognição https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1673 Conceitos básicos de percepção de cena 2020-08-22T15:25:47-03:00 Oséas Brito oseasbrito@gmail.com <p>A pesquisa sobre percepção de cenas é um esforço da comunidade científica em superar as dificuldades apresentadas ao estudo de estímulos complexos. As consistentes descobertas provaram a viabilidade do tema e encorajam uma abordagem mais holística e integrada nas investigações em percepção visual. Esse esforço e seus achados são, entretanto, pouco conhecidos pelos leitores em língua portuguesa e, até mesmo, entre alguns especialistas que se interessam pelo tema. O objetivo deste trabalho é fazer uma apresentação do campo, esboçar seu desenvolvimento, identificar suas principais questões e demonstrar sua pertinência e importância. Para isso, uma revisão seletiva de textos foi executada entre os autores que construíram os fundamentos da percepção de cenas. Ao concluir a leitura, espera-se que o leitor constate o papel relevante dos processos mnemônicos e do sujeito que observa no processo de captação visual do ambiente natural.</p> 2021-12-31T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2022 Ciências & Cognição https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1651 Revisão da literatura sobre Transtorno Opositivo Desafiador e Transtorno de Conduta 2020-02-13T15:43:36-02:00 Dhaniella Cristhina Brito Oliveira dhaniella.pvn18@gmail.com Danielle Rodrigues Monteiro da Costa danymont@uepa.br <p>De acordo com variados estudos científicos, nas idades escolares os estudantes podem apresentar diferentes distúrbios comportamentais. Assim, este artigo tem como objetivo apresentar uma revisão da literatura sobre o Transtorno Opositivo Desafiador (TOD) e o Transtorno de Conduta (TC) de modo a favorecer o diagnóstico e intervenções escolares. Para isso, realizou-se busca por descritores no Portal da Capes e no Google Acadêmico em que foram selecionados trabalhos mais recentes escritos em português e inglês que continham no título dos manuscritos os termos da busca e os conteúdos destes foram divididos em categorias, tais como, fatores de causa/proteção; estratégias de trabalho com alunos acometidos de TOD e TC e a relação que os distúrbios podem apresentar com o cometimento de atos infracionais. Verificou-se que os autores abordam que ambos os distúrbios podem desenvolver-se pela influência do ambiente social das crianças e adolescentes, e que o professor pode exercer influência sobre o comportamento e rendimento escolar destes estudantes. O presente estudo contribui, portanto para a compreensão dos distúrbios a partir da exposição do debate de diversos autores o que pode auxiliar professores, alunos e pais no trabalho com pessoas acometidas de TOD e TC.</p> 2021-12-31T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2022 Ciências & Cognição https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1662 Associação entre funções executivas, antropometria e aptidão física de escolares 2021-07-14T16:35:42-03:00 Maria Auricélia Ferreira Marques da Silva maria.auricelia@ifbaiano.edu.br Ana Regina Leão Ibiapina Moura ana.ibiapina@ifma.edu.br Jorge Luiz de Brito Gomes jorge.brito@univasf.edu.br Ferdinando Oliveira Carvalho ferdinando.carvalho@univasf.edu.br José Fernando Vila Nova de Moraes josefernando.moraes@univasf.edu.br <p>A aptidão física e parâmetros antropométricos têm sido associados ao aproveitamento acadêmico e melhoria da função cognitiva. Neste sentido, o objetivo do presente estudo foi de associar a função executiva, antropometria e aptidão física de escolares com idades entre 11 e 15 anos. Para tanto, 179 estudantes (85 meninas e 94 meninos) (13,18 ± 1,26 anos; 49,73 ± 12,30 kg; 159,21 ± 9,40 cm; 19,46 ± 3,79 kg/m²) foram submetidos a mensurações antropométricas (massa corporal, estatura e circunferência da cintura, com posterior cálculo de índice de massa corporal e relação cintura-estatura), realizaram dois testes cognitivos (Teste de Stroop e Teste de Trilhas) e realizaram uma bateria de testes físicos (PROESP-BR). Os dados foram analisados no SPSS versão 22.0 por meio de estatística descritiva e Correlação de Spearman. O nível de significância adotado foi de p&lt;0,05. Os resultados indicaram que a maior parte dos escolares apresentou baixo desempenho nos testes de aptidão física. Nenhuma associação significativa foi encontrada entre as variáveis antropométricas e o tempo para completar os testes cognitivos. Por outro lado, correlações significativas negativas foram observadas na associação entre os testes de aptidão física e os testes cognitivos, indicando que participantes com melhor aptidão física necessitam de menos tempo para completar os testes cognitivos. Conclui-se que escolares com idades entre 11 e 15 anos apresentam baixa aptidão física. Ademais, foram observadas correlações negativas significativas entre a aptidão física e o tempo para completar os testes cognitivos.</p> 2021-12-31T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2022 Ciências & Cognição https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1659 Metáforas da lama 2020-08-24T01:20:30-03:00 Priscilla Chantal Duarte Silva priscillachantal@unifei.edu.br Ricardo Shitsuka ricardoshitsuka@unifei.edu.br Ricardo Luiz Perez Teixeira ricardo.luiz@unifei.edu.br <p>As barragens de rejeito de minério de ferro fazem parte do processo de mineração no Brasil. Trata-se de uma técnica antiga envolvendo diversas tecnologias para torná-la mais segura. A constante vigília e cuidado sobre essas estruturas tornaram-se uma rotina frequente das mineradoras para evitar possíveis rupturas dessas barragens. Após o rompimento da barragem de rejeitos de minério em Brumadinho-MG e Mariana-MG muitos discursos com elementos metafóricos acerca da sustentabilidade e a prática de uso de barragens de rejeitos foram sustentados por uma intencionalidade discursiva voltada para a crítica social. O objetivo deste estudo é identificar e analisar o uso de metáforas conceptuais presentes como elementos multimodais na argumentação textual, numa perspectiva sociocognitiva e interacional da linguagem. Para isso, adota-se uma pesquisa expo-facto. O viés teórico da intencionalidade discursiva na linha de Searle; o caráter de modelos mentais, representações sociais e conhecimento sociocultural tal com prevê Van Dijk, a visão sociosemiótica de Geeraerts para compreender como argumentação por meio do campo imagético das charges é construída e sustentada socialmente e o dialogismo na perspectiva de Meyer a partir da argumentação. Nessa perspectiva sociocognitiva e interacional, o texto é pensado como uma construção linguístico-discursiva na qual a intencionalidade está relacionada com os modelos mentais resultantes de representações construídas a partir da experiencia do sujeito em sociedade e das práticas interacionais. Nesse contexto, o texto contempla uma gama de operações cognitivas interligadas como direciona Marscuschi. Constitui-se um corpus de charges publicadas na mídia brasileira, orientadas para a temática do rompimento de barragens de rejeitos de minério de ferro para a análise do aparecimento de metáforas conceptuais. Conclui-se que as metáforas se constituem recursos multimodais na orientação argumentativa e revelam metáforas do medo e da lama envolvendo um discurso do horror sobre a tragédia das cidades de Brumadinho e Mariana.</p> <div> <p> </p> </div> 2021-12-31T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2022 Ciências & Cognição https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1677 Motivação para aprender e interesse profissional de alunos do ensino médio 2020-08-22T14:40:26-03:00 Maria Luzia Silva Mariano malumariano@yahoo.com.br Katya Luciane de Oliveira katyauel@gmail.com Francislaine Flâmia Inácio laine_inacio@hotmail.com Amanda Lays Monteiro Inácio amandalmonteiroo@gmail.com <p>Este estudo buscou identificar o perfil motivacional e de interesse profissional dos alunos do Ensino Médio, levantar possíveis diferenças e relações entre as variáveis e ainda verificar se a motivação intrínseca pode prever a área de escolha profissional. 524 alunos da rede pública estadual de ensino de Minas Gerais e Paraná responderam a dois instrumentos: uma escala de aconselhamento profissional e uma escala de continuum motivacional. Os resultados evidenciaram uma relação entre motivação intrínseca e a área de Ciências Biológicas/da Saúde. Observou-se que a motivação intrínseca pôde prever em cerca de 10% a área de escolha profissional dos estudantes na área Ciências Biológicas/da Saúde. Os dados são discutidos à luz das implicações psicoeducacionais e do aconselhamento de carreira, visando reduzir as dificuldades para a tomada de decisão profissional dos estudantes.</p> 2021-12-31T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2022 Ciências & Cognição https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1664 Percepção do aprendizado nas disciplinas de programação do ensino técnico baseada em modelos mentais 2021-06-06T10:58:31-03:00 Elias José de Rezende Freitas elias.freitas@ifmg.edu.br Luiz Olmes Carvalho luiz.olmes@ifmg.edu.br Venilson Luciano Benigno Fonseca venilson.luciano@ifmg.edu.br <p>As Ciências Cognitivas têm como objeto de estudo a compreensão da mente humana e de sua capacidade de aprendizado. Uma maneira de entender esse aprendizado é por meio de modelos mentais, que podem ser vistos como um conjunto de regras, pensamentos e formas de interação com a realidade. Neste trabalho, é apresentado um estudo sobre a percepção do aprendizado nas disciplinas de programação do Ensino Técnico Integrado, por meio de uma investigação indireta de modelos mentais construídos pelos alunos na resolução de problemas computacionais. Como principais contribuições deste trabalho, destacam-se uma análise baseada em questionário para identificar pontos fortes e fracos na estruturação de modelos mentais e a validação das inferências realizadas através de testes de significância estatística. Os resultados obtidos mostram que, embora as turmas analisadas encontrarem-se abaixo dos níveis desejados, comprovou-se uma evolução dos modelos mentais observados de uma série para a seguinte.</p> 2021-12-31T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2022 Ciências & Cognição https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1725 O que acontece dentro da minha cabeça quando penso? 2020-08-23T12:13:47-03:00 Taís Oliveira Martins oliveiramartins.tais@gmail.com Janine Vieira janine.harmo@gmil.com Marcelo Leandro Eichler exlerbr@gmail.com <p>As imagens sobre o cérebro têm ganhado relevo no século XXI. Neste trabalho buscamos reconhecer as representações de crianças sobre o funcionamento do pensamento, envolvendo ideias de mente e de cérebro. Este estudo replica uma pesquisa de tradição piagetiana que foi conduzida com a seguinte pergunta norteadora: “O que acontece dentro da minha cabeça quando estou pensando?”. Os dados foram coletados por meio de entrevistas e, principalmente, a partir dos desenhos realizados pelas crianças. Participaram da pesquisa 51 crianças, entre quatro e doze anos, de escolas pública e privada sul-rio-grandenses. Os dados coletados foram discutidos em relação ao estudo original e visaram a compreender o pensamento infantil em suas próprias representações sobre o funcionamento da mente e do cérebro.</p> 2021-12-31T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2022 Ciências & Cognição https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1721 Medidas preventivas e comportamento de risco em mulheres privadas de liberdade em um estabelecimento prisional brasileiro 2020-08-21T17:56:10-03:00 Juliete Martello Grison juliete.grison@gmail.com Janaina Samantha Martins de Souza janasamantha@hotmail.com Juliana Matte ju.cxs1@gmail.com Jean Fábio Freitas Ramos jeanramos.rs@gmail.com <p>A atenção primária tem papel fundamental no diagnóstico precoce de patologias como câncer de mama e do colo do útero, através da realização do exame ginecológico, teste Papanicolau, exame das mamas e mamografia. Além disso, possibilita o acesso à educação em saúde na promoção do autocuidado e prevenção de doenças relacionadas à saúde da mulher e de infecções sexualmente transmissíveis. Nesta perspectiva, este estudo tem por objetivo identificar a saúde da mulher privada de liberdade em um estabelecimento prisional da serra gaúcha quanto a adoção de medidas preventivas e comportamento de risco. Para tal, realizou-se uma pesquisa quantitativa, com a aplicação de um questionário à 41 apenadas reclusas em um estabelecimento prisional da cidade de Caxias do Sul/RS. Os principais resultados mostram que 65,9% das mulheres não realizam acompanhamento ginecológico após o ingresso na prisão. Quanto ao exame das mamas, o conhecimento existe, mas a realização periódica não acontece, podendo evidenciar a falta e/ou diminuição do seu autocuidado e da procura pelo serviço em saúde. O estudo mostra que é necessário que medidas de gestão e políticas públicas para a resolução dos problemas de saúde e aos comportamentos de risco das mulheres privadas de liberdade.</p> 2021-12-31T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2022 Ciências & Cognição https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1753 O impacto das atividades cognitivas no desempenho no Mini-Mental de idosos octogenários de São João del Rei/MG 2020-09-04T11:48:30-03:00 Sergio Rocha sergiorocha@ufsj.edu.br Elisangela Naves Vivas lisavclivre@yahoo.com.br <p>O aumento da população idosa mundial em torno de 600% nos últimos 50 anos trouxe vários desafios. O principal é a adoção de políticas que possam oferecer um envelhecimento saudável, preservando a autonomia dos sujeitos. Entre essas estratégias, a estimulação cognitiva é uma que possui baixo custo operacional e pode otimizar as funções que ainda se encontram preservadas. O objetivo desse estudo piloto retrospectivo foi avaliar o impacto protetivo das práticas de estimulação cognitiva em octogenários da cidade de São João del Rei. Para tanto foram aplicados dois instrumentos de avaliação: o Mini-Mental e um Questionário de Práticas Cognitivas. Os resultados preliminares indicam uma tendência de as práticas cognitivas impactarem positivamente no desempenho no Mini-Mental dos octogenários (p&lt;0.01). Tais resultados têm implicações diretas, sobretudo nas estratégias de baixo custo a serem implementadas com o objetivo de se construírem reservas cognitivas na população recém adentrada na 3ª idade, visando uma maior autonomia na 4ª idade.</p> 2021-12-31T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2022 Ciências & Cognição https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1667 Funções executivas em crianças que apresentam dificuldades de aprendizagem 2021-12-19T12:41:02-02:00 Sofia Osório osoriosa09@gmail.com Alanny Nunes de Santana alanny46@gmail.com Monilly Ramos Araujo Melo monillyramos@gmail.com <p>As Funções Executivas (FE) podem ser definidas como um grupo complexo e integrado de recursos cognitivos que permitem ao sujeito efetuar comportamentos voltados a fins previamente decididos. Alterações nessas habilidades, preditoras de uma boa prática acadêmica, podem desencadear dificuldades no processo de aprendizagem de crianças. Logo, objetivou-se apurar a relação entre FE e dificuldades de aprendizagem em crianças com idades entre 7 e 11 anos de ambos os sexos, atendidas em um centro especializado nessa demanda para o público infantil. Foram utilizadas as ferramentas <em>Five Digit Test</em> (FDT) e um questionário sociodemográfico para a coleta de dados. Foram feitos estudos estatísticos descritivos e correlacionais por meio do software SPSS para Windows, a partir dos quais descrevemos correlações significativas entre os componentes executivos ‘Controle Inibitório’ e ‘Flexibilidade Cognitiva’ e as dificuldades de aprendizagem, o que nos indica a importância destes para a execução acadêmica, bem como a relevância de métodos de avaliação das FE na primeira fase escolar, para assim prevenir/minimizar o impacto dessas dificuldades no curso do aprendizado. Pontua-se que foram descobertos impasses normativos para correção de erros no teste aplicado, criando limitações na pesquisa, assim, propõe-se uma ampliação de normatizações.</p> 2021-12-31T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2022 Ciências & Cognição