NeuroEduc – Núcleo de Estudos em Neurociências e Educação

logo - neuroeduc2NeuroEduc – Núcleo de Estudos em Neurociências e Educação – Grupo de Pesquisa e Desenvolvimento, registrado no CNPQ.

  1. DESCRIÇÃO
  2. GRUPOS DE TRABALHO (GT)
  3. CALENDÁRIO DE REUNIÕES (2015)

1) Descrição

  • Este grupo de pesquisa tem por objetivo investigar estratégias técnico-cognitivas aplicadas ao ensino e aprendizagem. As atividades desenvolvidas baseiam-se no encontro das Neurociências, Psicologia e Educação estabelecendo um campo propício para a identificação de problemas pedagógicos, descobrindo novos métodos e procedimentos para a educação e formação. Esta linha está orientada com as atividades desenvolvidas pela National Association for the Education of Young Children (NAEYC), uma vez que investiga o papel de espaços alternativos de ensino-aprendizagem e modos de se contextualizar o processo de construção do conhecimento científico. Outras atividades desenvolvidas dizem respeito à exploração artística e estética do ensino através das neurociências. As subdivisões desta linha estão centradas na questão da interação entre os sujeitos da aprendizagem e os objetos pedagógicos em caráter mais diretivo, buscando atingir e estimular certas competências cognitivas. O NEUROEDUC tem como pesquisadores-líderes os Profs. Drs. Alfred Sholl-Franco e Glaucio Aranha. Reúne uma equipe multidisciplinar de pesquisadores associados, visando atingir a complexidade temática que atravessa o tema. Objetiva-se, através de pesquisa empírica, investigar estratégias técnico-cognitivas aplicadas ao ensino e aprendizagem. Neste sentido, a pesquisa se volta para questões contempladas pela neurociência cognitiva que afetam e são afetadas pelo processo de ensino, tais como: atenção (TDAH, TDA-PI, etc.), memória (inibição cognitiva, disfunção cerebral mínima, etc.), linguagem (disfasia, afasia, etc.) e aprendizagem (discalculia, dislexia, etc.). É consenso que o tratamento para muitas destas questões, em relação ao ensino, passa pela necessidade de desenvolvimento de métodos e procedimentos escolares alternativos ou modificados. Verifica-se, entretanto, a carência de pesquisas que se concentrem na busca de solução destes problemas. As atividades desenvolvidas baseiam-se na hipótese de que o encontro das Neurociências e da Educação estabelece um campo propício para a identificação de problemas pedagógicos, descobrindo novos métodos e procedimentos para a educação e formação.
  • Nome do grupo: Neuroeduc – Centro de Estudos em Neurociências e Educação
  • Status do grupo: certificado pela instituição
  • Ano de formação: 2010
  • Líderes do grupo: Alfred Sholl Franco, Gláucio Aranha Barros
  • Área predominante: Ciências Biológicas; Fisiologia; Comunicação em Ciências; Divulgação Científica
  • Instituições Participantes: Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ; Organização Ciências e Cognição – OCC.
  • Pesquisadores:
    • Dr. Alfred Sholl-Franco, UFRJ (Lider)
    • Dr. Gláucio Aranha, OCC (Lider)
    • Dra. Débora Henrique da Silva Anjos, UFRJ
    • Dra. Camila Marra de Almeida, Colégio Pedro II
    • MSc. Fabrício Bruno Cardoso, Fasfi
    • MSc. Dr. Fabiana Villaça, MD.
    • Profa. Aline Heim, Secretaria de Educação do Município do Rio de Janeiro
    • Profa. Mariza Sodré, Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro
    • Fonoaudióloga Anna Carolina Miguel, DESPERTA
    • Profa. Katia Machinez da Cunha, Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro

2) Grupos de Trabaho (GT)

  • Na última reunião do Neuroeduc de 2013 (dezembro), estimulou-se a formação de Grupos de Trabalho (GT) específicos de forma a ampliar e aprofundar as temáticas de interesse dos integrantes do grupo. Na primeira reunião de 2014 (março), foram sugeridas temáticas a serem trabalhadas por GTs, os quais teriam coordenadores e planos de trabalho específicos. Foi sugerido ainda que as reuniões oficiais dos GT ocorreriam das 8:00 às 10:00, nos mesmos dias e locais das reuniões do Neuroeduc, embora os integrantes dos GTs tenham total liberdade para organizar reuniões e trabalhar os temas propostos, devendo apenas avisar com antecedência para divulgação nesta página. Assim, as reuniões dos  GTs ocorrem em datas e locais acordados entre os coordenadores e participantes. Os coordenadores dos GTs podem solicitar a reserva de salas junto ao CeC-NuDCEN, através do e-mail admin@cienciasecognicao.org. A divulgação das reuniões dos GTs é de inteira responsabilidade dos respectivos coordenadores.

Grupos de Trabalho e Coordenadores:

  • GT Materiais Didáticos e Inclusão (Dr. Alfred Sholl-Franco).
  • GT Neuroeducação (Dr. Alfred Sholl-Franco).
  • GT Narratividade, Mídia e Cognição (Dr. Gláucio Aranha).
  • GT EEG (MSc. Fabrício Bruno Cardoso).
  • GT TDAH (MSc. Fabrício Bruno Cardoso).

3) Calendário de Reuniões

  • Divulgamos o calendário de reunião do grupo de pesquisa Neuroeduc (Centro de Estudos em Neurociências e Educação) através deste site e da página de Ciências e Cognição no Facebook e no Twitter. As reuniões abaixo relacionadas são abertas à participação de terceiros e consistirão em apresentação e discussão das pesquisas realizadas pelo grupo. Acontecem no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), Centro de Ciências da Saúde (CCS), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Ilha do Fundão, das 10:00 às 12:00.

10/04/2015: das 10:00 às 12:00h (sexta-feira) – G1-0092015 - Neuroeduc - Ciencias e Cognicao

  •  Apresentador: Katia Machinez da Cunha (Profa. Matemática, Mestranda pelo PPG em Diversidade e Inclusão – UFF)
  • Tema: Motivação e Adolescência
  • Local: Sala G1-030, Bloco G, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), Centro de Ciências da Saúde, UFRJ.
  • Resumo: A adolescência é um período caracterizado por uma série de mudanças cognitivas, sociais, físicas e emocionais, decorrentes da interação de fatores biológicos (genéticos, hormonais e neurais) e ambientais. Essas mudanças influenciam funções como motivação acadêmica e estratégias de aprendizagem em dois período críticos de transição acadêmica.  O objetivo desta reunião é apresentar uma revisão sobre a motivação na adolescência segundo a visão das neurociências, e os instrumentos de avaliação da motivação validados em pesquisas nacionais, a fim de compreender a importância da motivação  para o desenvolvimento cognitivo e conquistas acadêmicas a longo prazo.

15/05/2015: das 10:00 às 12:00h (sexta-feira) – G1-009

  • Apresentador:Mariza Sodré
  • Tema: Mapas Conceituais e Aprendizagem Significativa
  • Local: Sala G1-030, Bloco G, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), Centro de Ciências da Saúde, UFRJ.
  • Resumo: O mapa conceitual é uma estrutura esquemática útil para representar um conjunto de conceitos imersos numa rede de proposições. Para utilizá-lo como ferramenta no processo ensino-aprendizagem, deve-se considerar a aquisição do conhecimento como uma rede, na qual o aprendiz relaciona a informação que lhe é apresentada com seu conhecimento prévio sobre o tema, partindo das questões mais gerais para depois trabalhar as mais específicas, levando o autor a compreender as relações entre os conceitos enunciados e a buscar novas interações, resultando em uma aprendizagem significativa, de acordo com a teoria de David Ausubel. Além disso, existe uma grande proximidade entre a memória visual e a maneira como o mapa é apresentado, o que faz seu processamento requerer menos transformações cognitivas que o processamento de um texto, e desse modo não excede as limitações da memória de curto prazo.

12/06/2015: das 10:00 às 12:00h (sexta-feira) – C1-002 MUDANÇA DE SALA

  •  Apresentador: Glaucio Aranha
  • Tema: Aspectos cognitivos do uso de mídias para a divulgação científica e ensino.
  • Local: Sala G1-030, Bloco G, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), Centro de Ciências da Saúde, UFRJ.
  • Resumo: A midiatização da divulgação científica e do ensino parece não estar levando em consideração as especificidades cognitivas relacionadas com cada mídia em relação à produção de sentido. Outro aspecto ainda pouco considerado neste tipo de uso das mídias diz respeito às implicações que cada uma impõe para a construção da mensagem. Neste sentido, serão discutidos alguns dos postulados de Marshall McLuhan e Pierre Levy  acerca do modo como os meios de comunicação interferem no processo de construção do conhecimento aplicando-os ao contexto do ensino e da divulgação científica.

03/07/2015: das 10:00 às 12:00h (sexta-feira) – G1-030

  •  Apresentador: Talita da Silva de Assis (Geas- Fiocruz, CeC-NuDCEN e SEEDUC)
  • Tema: A Teoria da Aprendizagem Significativa: Contribuições para o Ensino e a Pesquisa sobre o Ensino
  • Resumo: A Teoria da Aprendizagem Significativa proposta por David Ausubel, em 1963, é uma abordagem pedagógica com viés construtivista voltada para o ensino, o que a torna totalmente atual. Sua ênfase sobre a importância em conhecer o que o aluno sabe para então organizar o ensino em função disso, chama a atenção para cuidados que a principio podem parecer pouco importantes, mas cuja ausência tem contribuído para prejuízos no processo de ensino-aprendizado no cenário educacional brasileiro. Além disso, Ausubel mostra que aprender é uma co-responsabilidade de alunos e professores. O primeiro deve ter intenção de aprender significativamente, ou seja, fazer interações substantivas, não-literais e não-arbitrárias com o conhecimento a ser aprendido; e ao professor cabe dominar sua área de ensino, selecionando conceitos estruturantes, organizando materiais potencialmente significativos a partir dos conhecimentos prévios de seus alunos, compartilhando significados e buscando evidências de que está ocorrendo a aprendizagem significativa. Por se tratar de uma teoria de ensino, a Aprendizagem Significativa também se apresenta como um referencial interessante a ser adotado na formação de pesquisadores na área de ensino e análises relacionadas.

28/08/2015: das 10:00 às 12:00h (sexta-feira) – G1-009

  •  Apresentador: Anna Carolina Miguel (UFF, CeC-Nudcen)
  • Tema: Promoção da linguagem emocional: o que o professor tem a ver com isso?
  • Resumo: A linguagem emocional representa um conjunto de competências cognitivo-linguísticas que permite o indivíduo compreender e produzir significados afetivos e semânticos, tais como expressar e compreender estados emocionais e a intenção do emissor da mensagem. Essas qualidades facilitam a comunicação interpessoal e consequentemente o aprendizado decorrente das relações inauguradas com o ingresso escola. O educador é quem, rotineiramente norteia comportamentos sociais e orienta o uso da linguagem dos alunos para de acordo com o contexto. Nesse processo, assume lugar privilegiado tanto para a promoção da linguagem emocional quanto para a detecção dos sinais de dificuldades.Os transtornos do espectro autístico (TEA) e as alterações sensoriais (Surdez e Cegueira) apresentam particularidades em relação à qualidade do discurso emocional. Essas falhas interferem nas qualidades comunicativa e social e deve ser considerada também pela escola.

11/09/2015: das 10:00 às 12:00h (sexta-feira) – G1-009

  •  Apresentador:
  • Tema:

02/10/2015: das 10:00 às 12:00h (sexta-feira) – G1-009

  •  Apresentador:
  • Tema:

06/11/2015: das 10:00 às 12:00h (sexta-feira) – G1-009

  •  Apresentador:
  • Tema:

04/12/2015: das 10:00 às 12:00h (sexta-feira) – G1-009

  •  Apresentador:
  • Tema:

11/12/2015: das 09:00 às 12:00h (sexta-feira) – G1-009

  •  Apresentador: Alfred Sholl-Franco (UFRJ/OCC).
  • Tema: Brainstorm para a VII Semana do Cérebro.

 

Participantes externos deverão confirmar presença e local (sala) da reunião três dias antes da data da reunião pelo e-mail cecnudcen@cienciasecognicao.org

11 Comments

  1. Juliana Saboia

    Ao grupo Neuroeduc,
    Sou professora da turma de primeiro ano de uma escola privada e gostaria de saber a viabilidade de participar das discussões realizadas pelo grupo. Estou muito interessada no tema proposto pelo grupo, tema esse que venho me iinformando e aprofundando ao longo dos último meses.
    Aguardo retorno,
    Juliana Saboia de Moraes

    • cienciasecognicao

      Prezada Juliana Saboia

      As reuniões do NuDCEN são abertas à participação dos associados, os quais são comunicados pela Lista de Discussão sobre as datas de realização e temas a serem abordados. Os associados podem ainda desenvolver ações junto à Ciências e Cognição, levando-as para discussão nas reuniões. Além de conhecer outras atividades que desenvolvemos. A associação envolve apenas o pagamento de uma anuidade no valor de R$ 40,00 (quarenta reais) a título de colaboração para as despesas ordinárias dos projetos.

      Maiores informações podem ser obtidas através do link: http://www.cienciasecognicao.org/portal/?page_id=2

  2. Importante contato sobre neuroeducação

  3. Karen Cavalcanti Tauceda

    Porto Alegre, 17 de março de 2012

    Gostaria de saber quando será organizado um curso de Neurociências e Educação em Porto Alegre. Sou doutoranda do PPG Educação em Ciências – UFRGS.
    Atenciosamente
    Karen Tauceda

  4. Patrícia Santoro

    Prezados professores,
    gostaria de cadastrar-me para receber informações via e-mail sobre as atividades realizadas pelo Neuroeduc.
    att.
    Patrícia Santoro

    • cienciasecognicao

      Prezada Patrícia

      O envio por e-mail de informações e atualizações sobre as atividades do Neuroeduc e dos demais núcleos e ações de Ciências e Cognição é feito exclusivamente para os associados, através do boletim trimestral Cognotícias, que inclui o calendário de reuniões do Neuroeduc para cada trimestre e outras informações.

  5. Carla Campos

    Bom dia!
    Gostaria de receber informações sobre as programações.

  6. Maria Amélia Machado

    Prezados senhores,
    Boa noite!
    Gostaria de receber informações sobre o curso de neurociências e educação, para o mês de janeiro de 2012. Existe alguma atividade nesse período?
    Grata,
    Maria Amélia

    • cienciasecognicao

      Prezada Maria Amélia

      O próximo Curso de Formação Continuada em Neuroeducação ocorrerá em julho de 2012. Acompanhe nosso site, pois estaremos divulgando o edital de inscrições tão logo seja aberto o período.

Deixe uma resposta